Assistimos a uma das maiores pandemias que o planeta terra já vivenciou. De uma ponta à outra, atravessa continentes, invade países e instala-se nas comunidades. É o coronavírus, a ameaça global. São os profissionais de saúde que estão na linha da frente no combate ao covid-19. Todos dias, 24 horas sob 24 horas, lutam de forma incansável com esforço, dedicação e profissionalismo. Mas há consequências. Para além do desgaste físico e emocional, vêm as suas rotinas de Beleza e higiene alteradas. Das marcas da máscara aos cortes de cabelo, queremos perceber como é que os enfermeiros estão a lidar com todas estas mudanças. São quatro histórias, quatro experiências de vida.

Andreia Sousa, Enfermeira no Serviço de Urgências, Lisboa

A conviver todos os dias com o coronavírus, Andreia Sousa afirma ver-se “despersonalizada”. O uso da máscara, bata, luvas, viseira e de mais umas quantas proteções impedem-na de usar brincos, relógio e fios. As unhas têm que se manter curtas e ao natural. “Podem parecer coisas fúteis, mas que acabam por interferir com a nossa imagem”, revela. Os banhos passaram a ser uma constante, por vezes quatro vezes ao dia, acabando por danificar a saúde do cabelo e da pele. “A adaptação acaba por ser uma obrigação. Neste momento, tornou-se numa rotina.”

Na frente da batalha: quatro enfermeiros contam-nos como é que o coronavírus alterou as suas rotinas de Beleza
Fotografia tirada por @alberto_giuliani no Ospedale San Salvatore Pesaro, em Itália.

Hugo Cruz, Enfermeiro no serviço de Hematologia Oncológica, Londres

De Portugal para Londres. Por semana, Hugo Cruz trabalha três ou quatro turnos de 12 horas cada. Devido à acelerada propagação do coronavírus, deixou de trabalhar na Hematologia Oncológica para poder receber doentes suspeitos de covid-19. As rotinas de Beleza e os cuidados com a imagem também foram alterados. “Passei a dar uma maior atenção à barba. Faço-a com mais frequência, pois tem que estar sempre curta”, diz. Mas há mais. O uso frequente de máscara de proteção, pelo facto de estar em contacto com a pele, deixa-a mais irritada. É aqui que o uso de cremes regeneradores e hidratantes são obrigatórios.

Na frente da batalha: quatro enfermeiros contam-nos como é que o coronavírus alterou as suas rotinas de Beleza
Fotografia tirada por @alberto_giuliani no Ospedale San Salvatore Pesaro, em Itália.

Juliana Catarino, Enfermeira no Serviço de Cuidados Continuados, Coimbra

A par das mudanças no quotidiano profissional de Juliana Catarino, também as rotinas de Beleza foram mudadas. Os cuidados com a pele aumentaram. “A utilização da máscara estava a causar-me uma grande crise de acne, pelo que passei a fazer limpezas de rosto com produtos mais diferenciados, como por exemplo, a Foreo”, afirma. Quando há um contacto mais próximo com um utente com o vírus, Juliana Catarino não usa nem rímel, nem base, nem batom. “Não utilizo maquilhagem porque as mudanças de máscara e equipamento são muito frequentes e transpira-se imenso.”

Na frente da batalha: quatro enfermeiros contam-nos como é que o coronavírus alterou as suas rotinas de Beleza
Fotografia tirada por @alberto_giuliani no Ospedale San Salvatore Pesaro, em Itália.

Luís Ramos, Enfermeiro no Serviço de Urgências, Lisboa

Habituado a ter o cabelo com um corte médio, Luís Ramos viu-se obrigado a cortá-lo por questões higiénicas e sanitárias. A barba também não foi deixada de parte. “Tinha por hábito apará-la com a máquina, mas para que a máscara adira melhor à cara tenho que fazer a barba com uma lâmina”, afirma. Se a desinfeção das mãos já era uma habitué, agora passou a ser 24/7, o que leva ao uso redobrado de hidratação.

Newsletter

O seu ritual de Beleza tem mais um passo: assine a newsletter Miranda e receba as novidades da cosmética e artigos dos nossos #RealFluencers no seu email.

Na sua rede favorita

Siga a Miranda no Instagram. Partilhe as suas fotos de Beleza com #SomosTodosMiranda