Conseguir um cabelo comprido, volumoso e grosso não é algo que se conquista do dia para a noite. A não ser que aconteça um “milagre” chamado: extensões de cabelo. Quer seja para devolver comprimento ou densidade aos fios, as extensões estão cada vez mais presentes no mundo da Beleza.

Tendências de cabelo: 40 looks para arrasar este outono
Tendências de cabelo: 40 looks para arrasar este outono
Ver artigo

Como já aqui tínhamos partilhado, os cabelos super longos prometem ser o protagonista da nova estação. Não só temos visto a tendência nos maiores desfiles das Semanas da Moda, como tem sido o penteado de eleição entre as celebridades.

Para lhe trazer o guia completo sobre o acessório do momento, estivemos à conversa com a Myos, uma marca portuguesa especialista na colocação de extensões de cabelo e responsável pelas recentes transformações de Bárbara BandeiraCristina Ferreira e Helena Coelho.

Antes de tomar qualquer decisão é importante ficar a conhecer os vários tipos de colocação de extensões e os devidos cuidados, para garantir um cabelo saudável e bonito.

Colocação de extensões:

Primeiramente, o método de colocação de extensões é escolhido consoante cada tipo de cabelo. Os fios afro, por serem mais finos e secos, tem tendência a ficar muito embaraçados, mostrando-se mais fortes. Por este motivo é o único tipo de cabelo capaz de aguentar os métodos de nó italiano e costura sem danificar o cabelo nem magoar o couro cabeludo. Já o método de queratina é uma excelente opção quando este tipo de cabelo sofre um alisamento.

Tanto o cabelo oriental (duro e grosso; reto e fino; ligeiramente ondulado) como o cabelo caucasiano (fino ondulado; muito ondulado; cacheado) não têm força suficiente para aguentar métodos como o nó italiano ou o costurado. Quando optam por estes métodos, o couro cabeludo sofre uma grande agressão e o cabelo fica danificado. O método de queratina é mais leve, por esse motivo, é o mais adequado aos cabelos europeus.

Técnicas de colocação:

Nó italiano: A extensão é dobrada com o próprio cabelo da pessoa e trancado com látex. Este método requer atenção e cuidados redobrados, pois o uso continuado poderá causar peladas.

Micro-anel: A extensão é presa ao cabelo por meio de um anel de aço, que é prensado com um alicate. Esta técnica tem a desvantagem de ser bastante perceptível ao toque e em cabelos muito lisos é difícil a sua fixação uma vez que poderá escorregar.

Trança brasileira: Neste método é feita uma trança com mais ou menos dois dedos de comprimento desde a raiz, e a extensão é presa tal como acontece no nó italiano. Poderá causar algum desconforto por repuxar, não sendo indicado para cabelos caucasianos. Também são muito perceptíveis ao toque, dando visualmente um resultado pouco natural.

Queratina - Técnica Rolinho: Apesar de ser menos agressiva do que o nó italiano ou trança brasileira, a colocação em rolinho, quando mal colocada, é bastante evasiva. Poderá danificar o cabelo e magoar o couro cabeludo devido à espessura e peso das queratinas.

Queratina - Técnica Envelope: Tem diversas vantagens que conseguem tornar este método o mais eficaz para quem quer colocar extensões. Para além de serem mais leves, as queratinas ficam num formato achatado, evitando a agressão do couro cabeludo e tornando-as mais finas ao toque. A par disto, esta técnica não repuxa os fios de cabelo tendo o espaçamento necessário para obter um resultado final muito natural.

Guia de cuidados:

  • Deve-se escovar as extensões e cuidar, como se do nosso cabelo se tratasse. A escovagem deve ser com uma escova própria, de forma gentil e sempre das pontas para a raiz.
  • A lavagem do cabelo pode ser realizada da forma mais conveniente e normal desde que não seja de cabeça para baixo. A escolha do champô deverá ser o que for mais indicado para o cabelo natural.
  • Manter o cabelo muito bem hidratado com sérum, óleos e protetor térmico sempre que recorrer a fontes de calor. E nunca colocar uma fonte de calor diretamente em cima da queratina para não derreter.
  • No caso de querer pintar o cabelo, deve ter o cuidado de escolher uma tinta sem amoníaco e evitar o contacto da tinta com as queratinas.
  • A manutenção de extensões costuma fazer-se, em média, de 3 em 3 meses. O intervalo de tempo varia consoante o crescimento do cabelo.
Enquanto decide o seu próximo penteado, inspire-se com algumas celebridades que usam ou já usaram extensões de cabelo:

Inclua este passo no seu ritual de Beleza!

Subscreva a newsletter da Miranda by SAPO.

Seja a primeira a receber as melhores dicas de Beleza

Ative as notificações da Miranda.

Enquanto o verniz das unhas seca…

Siga a Miranda by SAPO no instagram. Use a #SomosTodosMiranda nas suas publicações.