#OPerfumista: não pode morrer sem cheirar... Chanel Nº5

Há perfumes que serão eternamente bons e mitos 'vivos' deste universo mágico dos aromas. No topo desta lista, Chanel Nº5 é um incontornável e, talvez, a mais célebre fragrância de todos os tempos.
#OPerfumista: não pode morrer sem cheirar... Chanel Nº5
Chanel

Tudo se passou nos anos loucos, algures nos anos 1920. A empresa de Gabrielle Chanel já empregava cerca de 300 costureiras e mantinha uma aura de sucesso e crescimento estonteante. É nessa altura que o seu amante, o Grão-Duque Dimitri Pavlovitch da Rússia lhe apresenta o perfumista Ernest Beaux, radicado desde a Revolução de 1917 no sul de França, onde dirigia um pequeno laboratório de perfumaria. É deste encontro que nasce o perfume que viria a mudar a história da perfumaria: Chanel Nº5.

Gabrielle Chanel queria uma fragrância única, que “transparecesse o seu estilo e personalidade” e que fosse um reflexo da sensualidade e complexidade da mulher moderna. Diz-se que a escolha recaiu pela quinta opção apresentada pelo perfumista e daí a inspiração para o nome, Nº5. Este foi lançado em 1921 e desde então tem percorrido o caminho do sucesso.

O perfume

Chanel Nº5 é um aroma floral, opulento e sedutor em que se destacam o Ylang-Ylang, a Rosa de Maio e o Jasmim, o ingrediente que é hoje o mais luxuoso e caro do mundo. Num nível secundário, embora importantes para a composição, encontramos, ainda, aromas cítricos como a Bergamota, Limão e Néroli, a Iris e uma faceta amadeirada onde se destacam o Sândalo e o Vétiver, complementados magistralmente com Âmbar e Baunilha.

#OPerfumista: não pode morrer sem cheirar... Chanel nº5

Esta trilogia floral dá-lhe uma magnitude e opulência ímpar que se reforça com a força exquisiteness dos Aldéhydos C10, C11, e C12, que aportam uma faceta alaranjada e metálica à composição. Não tendo sido a primeira vez que foram usados em perfumaria, a verdade é que nunca tinham ganho tanta visibilidade e importância num perfume. E é precisamente este facto que o distingue das dezenas que existiam à época na mesma categoria e que o tornam revolucionário para a indústria dos perfumes.

A força do perfume e a extraordinária revelação explosiva floral deve-se aos Aldéhydos, com uma elegância, sofisticação e beleza que popularizaram desta forma os perfumes com uma composição Floral Adéhydica.

Um best-seller de vendas ao longo do século XX e uma inevitável inspiração para muitas casas que lançaram perfumes nele inspirados ou, se preferir, com uma abordagem semelhante, embora própria e não copiando, como sucedeu com Arpége de Lanvin, Rive Gauche de Yves Saint Laurent, L’Interdit de Givenchy, Calèche de Hermès, entre outros. Não é por acaso que, quase a completar cem anos de história, ainda hoje em dia Chanel Nº5 continua a ser dos perfumes mais contra-feitos no mundo.

O frasco

A Place Vendôme, em Paris, é uma praça grandiosa mandada construir por Luís XIV, Le Roi Soleil, como demonstração do seu Poder Absoluto. Ali existem algumas lojas de marcas de luxo e o hotel Ritz, onde Coco Chanel viveu durante mais de trinta anos, até ao dia da sua morte.
Talvez pela relação que tinha com esta praça e o que nela viveu, a primeira versão do frasco foi inspirada no seu desenho, rectilínea e imponente, com os seus cantos cortados.

#OPerfumista: não pode morrer sem cheirar... Chanel nº5

À direita a Place Vendôme, numa fotografia de satélite, à esquerda em foto-montagem a maqueta feita pela Casa Chanel para demonstrar a semelhança do frasco com a forma da praça.

A publicidade

Em 1969, Richard Avedon filmou o primeiro filme publicitário, que acabaria por se tornar no mais caro produzido até então. Iniciava-se também o hábito das marcas de perfumes investirem em publicidade como até então nunca tinha sido feito. Em 2004, a marca voltou a bater recordes quando apresentou o seu novo filme, tendo como protagonistas Nicole Kidman e Rodrigo Santoro, que custou 24 milhões de euros.

#OPerfumista: não pode morrer sem cheirar... Chanel nº5

Dos seus milhões de fãs, várias celebridades assumiram a sua adição a Chanel Nº5, caso de Carole Bouquet, Catherine Deneuve, Céline Dion, Claudia Schiffer, Maria Callas ou Nicole Kidman. Ainda assim, a que mais contribuiu para a notoriedade da marca foi sem dúvida Marilyn Monroe a quem um dia perguntaram “o que usa para dormir?” E ela respondeu “umas gotas de Nº5...”

#OPerfumista: aromas em vidro numa exposição histórica
#OPerfumista: aromas em vidro numa exposição histórica
Ver artigo

É um apaixonado por aromas e perfumes. Formado em Composição de Perfumes na Cinquième Sens, em Paris, membro da Société Française des Parfumeurs e júri do Prémio Máxima de Beleza, Lourenço Lucena cria perfumes e organiza formações e eventos, em torno deste universo mágico. Adoramos fazer com ele esta viagem olfactiva. 

Na sua rede favorita

Siga-nos no Instagram

Veja também

Comentários

Reparámos que tem um Ad Blocker ativo.

A informação tem valor. Considere apoiar este projeto desligando o seu Ad Blocker.

Pode também apoiar-nos ao seguindo-nos nas redes sociais Facebook, Instagram e Twitter.