Nasceu a 24 de Janeiro de 1943, no Texas. Seis meses depois, quando ainda não sabia sequer andar e tudo o que verbalizava era monossílabos, venceu o concurso de Beleza "Miss Tiny Tot" de Dallas – o primeiro de muitos.

Em 1959, aos 16 anos, foi coroada Miss Richland. À medida que crescia, a puberdade fazia com que a sua Beleza crescesse proporcionalmente e com dificuldade passava despercebida.

Em 1962, aos 19 anos, começou a conquistar território em Hollywood. A sua faceta tímida não a deixava escalar para papéis maiores e, numa constante tentativa e erro, ia fazendo audições mas era substituída por outras atrizes mais maduras. Ainda assim, avistava-se uma carreira cinematográfica promissora, que acabou por chegar em 1965, quando protagonizou o filme 'Eye of the Devil'.

Depois desse sucederam-se uns atrás dos outros e, em três anos, foi estrela de seis filmes, mostrando que querer é poder. O seu papel em 'Valley of the Dolls' rendeu-lhe uma nomeação para os Globos de Ouro, em 1967, na categoria de atriz mais promissora.

Se em Inglaterra ecoava o nome de Twiggy, que viria a marcar o estilo dos anos 60, em Hollywood era a delicada Sharon Tate que dava nas vistas, assumindo-se como uma sex-symbol, sobretudo depois de ter posado para a revista 'Playboy' em 1967.

Dona de um cabelo loiro, volumoso e ondulado, com franja a cair para o lado, foi tida pelo conceituado fotógrafo americano Bern Stern como “a mulher mais bonita que já conheceu” – referiu em declarações para o livro 'Sharon Tate: Recollection', da autoria de Deborah Tate, a irmã.

No que à maquilhagem dizia respeito, a atriz seguia as diretrizes do seu tempo, destacando os olhos com um eyeliner preto, pestanas postiças, sombras escuras ou, por sua vez, com um lápis preto no côncavo. Segundo o jornal americano 'New York Sunday News', ”a sua presença no meio da multidão é tão insignificante quanto um holofote num apagão”. Já Deborah considerava que a irmã tinha “uma combinação de inocência sexy e infantil”.

Mas não era só por fora que transbordava Beleza: “Durante a minha carreira eu já fotografei as mulheres mais atraentes do mundo, mas a Sharon é aquela cuja memória mais me toca. O carisma e a Beleza inesquecível, ela vai estar sempre na minha mente”, declarou o fotógrafo Jean Jacques Bugat no livro que homenageia a atriz.

Em Novembro de 2018, Deborah Tate leiloou no Julien’s Auctions em Beverly Hills, na Califórnia, alguns pertences da irmã e com isso ficámos a conhecer os produtos que integravam o kit de Beleza da atriz: eau de parfum Jicky, da Guerlain, eau de cologne Chanel Nº5, mas também uma barra de sabonete Erno Laszlo, o batom Frosted Slicker London Look, da Yardley, um tubo especial para colar pestanas da Max Factor, um conjunto de cílios postiços, um eyeliner da Revlon em preto e em branco, e um lápis de sobrancelhas da Maybelline, entre outros.

Hoje os seus objetos pessoais, bem como tudo aquilo que nos deixou de não-palpável, servem apenas para recordar e contemplar. Isto porque a 9 de Agosto de 1969, aos 26 anos, no auge da sua carreira, Sharon foi assassinada por membros da seita liderada por Charles Manson, enquanto estava grávida de oito meses e meio do realizador de cinema, Roman Polanski.

Desde então são vários os filmes que se baseiam no seu fim trágico, como 'As Discípulas de Charles Manson' (2018), 'A Maldição de Sharon Tate' (2019) e o oscarizado 'Era uma Vez em Hollywood' (2019). Sharon era uma estrela em vida e assim se manteve para sempre.

Percorra a galeria e fique a conhecer a Beleza da atriz:

Inclua este passo no seu ritual de Beleza!

Subscreva a newsletter da Miranda by SAPO.

Seja a primeira a receber as melhores dicas de Beleza

Ative as notificações da Miranda.

Enquanto o verniz das unhas seca…

Siga a Miranda by SAPO no instagram. Use a #SomosTodosMiranda nas suas publicações.