Se a Beleza da nossa pele é importante, a saúde da mesma vem sempre em primeiro lugar. A Miranda lembrou no início de maio, que este é o mês para a sensibilização do melanoma cutâneo. Neste artigo explicamos-lhe tudo sobre o cancro de pele que é considerado o mais perigoso e atinge cerca de mil portugueses por ano, segundo o The Global Cancer Observatory.

O que é o melanoma?

Falamos de um tipo de cancro de pele que tem origem nos melanócitos, células responsáveis pela síntese da melanina, o pigmento natural da pele. Apesar de outros tipos de cancro de pele serem mais comuns, o melanoma é considerado mais perigoso, pela maior probabilidade de se alastrar a outros órgãos.

Depois da iniciativa da Avène , também a La Roche-Posay se une à causa, reforçando a importância de nos alertar para os perigos da exposição solar excessiva. Sendo que 90% dos casos podem ser tratados se forem detetados precocemente, cada um nós tem um papel decisivo nesta batalha. A marca francesa adianta ainda que cerca de cinco queimaduras solares antes dos 20 anos, podem aumentar o risco de melanoma em 80%. Por isso mesmo, a prevenção é a chave da nossa saúde.

Quatro medidas simples de prevenção a adoptar já:

  1. Tenha um comportamento inteligente de proteção quando estiver ao sol, evitando a exposição nos horários de maior radiação solar e utilizando vestuário, chapéus e óculos de sol;
  2. Proteja a sua pele com um protetor solar de amplo espetro, com filtros UVA E UVB, com um fator de proteção elevado (FPS50), aplicando-o imediatamente antes da exposição solar. Deve reforçar esta ação frequentemente, nomeadamente após tomar banho ou suar;
  3. Analise os seus sinais através do método ABCDE (e consulte o seu dermatologista se tiver alguma alteração);
  4. Visite um dermatologista regularmente para fazer uma análise de sinais em todo o corpo.

Maio é o mês para a sensibilização do melanoma cutâneo
Maio é o mês para a sensibilização do melanoma cutâneo
Ver artigo

A exposição solar excessiva pode ser potenciadora do aparecimento do melanoma, já que a radiação UVB e UVA pode desencadear alterações no próprio coração das células e danificar o seu ADN. Importante reforçar que existem grupos que podem apresentar risco mais elevado no que diz respeito ao cancro de pele, como as pessoas com fototipo claro (pele, olhos e cabelo claros); as que têm um grande número de sinais e/ou com histórico de cancro de pele na família; que tiveram cinco ou mais queimaduras solares intensas com menos de 20 anos de idade e pessoas que recorrem ao solário regularmente.

Como distinguir um sinal de um melanoma? Com o método ABCDE:

  • Assimetria: Geralmente, os sinais do nosso corpo têm uma aparência semelhante: são simétricos. Algo em contrário, representa um sinal de alerta.
  • Bordo: A regularidade e forma são também fatores a considerar, pelo que as bordas de um sinal devem também pesar nesta análise.
  • Cor: Os sinais devem ter apenas uma única cor.
  • Dimensão: O tamanho deve ser menor que 5mm.
  • Evolução: Alterações repentinas na forma, crescimento e na evolução de um sinal devem ser consideradas suspeitas.

É importante ter atenção a áreas específicas, onde existe uma maior quantidade de sinais e das áreas onde teve antecedentes de queimaduras solares, vigiando sempre todo o corpo.

Inclua este passo no seu ritual de Beleza!

Subscreva a newsletter da Miranda by SAPO.

Seja a primeira a receber as melhores dicas de Beleza

Ative as notificações da Miranda.

Enquanto o verniz das unhas seca…

Siga a Miranda by SAPO no instagram. Use a #SomosTodosMiranda nas suas publicações.