Se adora máscaras faciais, talvez esteja na hora de fazer um upgrade na forma como as aplica. Afinal, é provável que diferentes zonas do seu rosto tenham diferentes necessidades - se calhar a zona T é mais oleosa, o contorno de olhos mais seco e as maçãs do rosto têm tendência a ser mais sensíveis -, e é impossível (pelo menos até agora!) encontrar uma máscara que atenda, em simultâneo, a todos esses problemas.

No entanto, aquilo que começou como uma tendência acabou por estabelecer-se como a forma mais eficaz de aplicar máscaras: multi-masking é o conceito de aplicar várias máscaras diferentes ao mesmo tempo, consoante certas zonas do rosto e aquilo de que estas mais precisam. Por exemplo, se neste caso a zona T é a mais oleosa, aplicaria no nariz, testa e queixo uma máscara para esse tipo de pele. No contorno de olhos, uma máscara que hidratasse em profundidade. E por aí adiante.

Mas antes de começar a fazer as suas experiências, existem alguns conselhos que deve ter em conta:

  • A melhor altura para aplicar uma máscara é depois do banho e de uma esfoliação. Dessa forma, não só tem os poros mais receptivos a tratamento, como tem uma base fresca e limpa para a aplicação do produto.
  •  No caso de multi-masking, é importante ter um plano antes de aplicar as máscaras. Por exemplo, se tem produtos que devem estar no rosto durante mais tempo, é recomendado que os aplique em primeiro lugar, de forma a que possa remover todas as máscaras ao mesmo tempo no final.
  • É importante saber misturar. Como tudo o que é feito em excesso, a mistura de várias máscaras com fórmulas incompatíveis pode ter consequências negativas na nossa pele. É aconselhado que comece aos poucos (talvez misturar duas na primeira vez, depois três - não é recomendado que use mais de quatro), fazendo esta rotina uma vez por semana.

Na sua rede favorita

Siga-nos no Instagram