“Não existe uma maneira correcta [de aplicar], o blush simula cor e pode ser aplicado de forma mais escultural na periferia do rosto, de forma mais inocente nas maçãs do rosto, que são a parte mais volumosa das bochechas quando sorrimos, ou até de uma forma que mais se assemelha a um escaldão, na parte superior das maçãs do rosto e na cana do nariz”, resume.

Mas a ter que existir um guia geral, o makeup artist aconselha que o "blush não desça mais do que a ponta do nariz e que não se aproxime mais do que a distância da largura do dedo polegar do nariz”.

Pó, creme ou líquido: as diferenças

As múltiplas opções disponíveis no mercado podem confundir. Mas convém perceber que cada uma tem as suas particulariedades.

Blush, blush, de volta aos 80!
Blush, blush, de volta aos 80!
Ver artigo

“O blush em pó é o mais utilizado, aplica-se com um pincel. Pode ter um pouco de brilho, que na minha opinião dá um ar mais fresco e polido às maçãs do rosto. E também é mais fácil de esbater!”, explica Miguel.

Já “o blush em creme pode ser usado com um pincel ou até com os dedos, a textura cremosa torna-o compatível com pele seca e dispensa a matificação da base com um pó solto, que por outro lado é imprescindível para uma aplicação stress-free de blush em pó”.

Por último, “o blush líquido vem normalmente numa cor muito concentrada e aquosa, é preciso aplicá-lo de forma rápida, senão seca! Este tinge a pele de uma forma semelhante à que o vinho tinto tinge os lábios, motivo pelo qual pode ser multi-usos.”

Como escolher o pincel certo

No caso de querer fazer a aplicação com um pincel, é importante reconhecer as qualidades que definem um bom para o efeito.

Pincéis de maquilhagem: os básicos por onde deve começar
Pincéis de maquilhagem: os básicos por onde deve começar
Ver artigo

“Um blush tradicional em pó deve ser aplicado com um pincel de cerdas naturais de comprimento médio e relativamente flexíveis. Devemos ter em conta que cerdas mais curtas e mais rígidas dão um acabamento mais preciso e concentrado, enquanto as cerdas mais longas e flexíveis dão um acabamento mais difuso e leve ao produto que utilizamos”, diz Miguel Stapleton.

Uma dica fácil para reconhecer um bom pincel? “Um bom pincel de blush não consegue magoar ou exfoliar o rosto, por muita força que se faça!”, avisa o maquilhador.

Quatro sugestões para entrar no mundo encantado do blush

Na sua rede favorita

Siga a Miranda no Instagram. Partilhe as suas fotos de Beleza com #SomosTodosMiranda