Nunca estive grávida, mas suponho que, a par da maternidade, a acne é o segundo assunto mais propício a opiniões não solicitadas. Está ali, na nossa cara, à vista de tudo e todos, tornando-se praticamente impossível resistir-se a comentá-la (eu juro que é possível, deviam tentar). “Tens de lavar a cara todos os dias”, “cuidado com o que comes”, “já viste como está a tua cara?” (ou o total oposto) “ah, isso não é nada, há coisas piores” estão no topo da lista de coisas que ouvi nos últimos 20 anos. Ter acne nunca será “fixe”, garanto-vos que ninguém acorda e pensa “que bom que me surgiu mais uma borbulha para juntar às outras dez”.

Tratamos da pele com toda a dedicação e carinho para sermos correspondidos desta forma, mal-amadas pela nossa derme, não se faz. Eu lavo, tonifico e hidrato a pele religiosamente desde os 10 anos – e mesmo assim consigo ter pior pele do que as minhas amigas que dormem consecutivamente com a maquilhagem por retirar. É frustrante? Sim. Altamente irritante? Sim. Pode dar cabo da nossa autoestima? Oh se pode. Mas nada nem ninguém, nem mesmo a isotretinoína, vai ter de lidar com a nossa pele além de nós mesmas, por isso mais vale aceitar (é sempre o primeiro passo, não é?). Estas são algumas das coisas que aprendi nos últimos 20 anos.

Não sou culpada do aspecto da minha pele.

Não há nada de errado contigo. Nem comigo. Nem com qualquer outra pessoa com problemas de pele. Há uma série de razões para um surto de acne ocorrer e fazeres-te sentir culpada não irá resolver nada. Avalia mudanças dos últimos dias (experimentaste algum produto novo?), alterações de rotina, stress, alimentação e se os sintomas persistirem já sabes o que tens de fazer: consultar um especialista.

Não existem produtos milagrosos.

De vez em quando surge um novo produto, a Internet enlouquece, as reviews são maravilhosas e como nós já estamos ‘por tudo’ investimos todas as nossas esperanças (e tostões) nele. Não quero com isto dizer que não haverá um produto que possa fazer maravilhas pela tua pele, mas o tratamento da acne é, infelizmente, moroso e envolve mais do que uma poção milagrosa. Duvido que haja algum produto que te faça acordar na manhã seguinte com a pele de um bebé (mas se houver e já tiverem experimentado, avisem por favor).

Não te deixes levar em mezinhas.

O que resulta para uma pessoa pode não resultar para outra. Acho importante dividirmos histórias e partilharmos o que pode ajudar no processo, mas pela minha experiência o que é “espetacular” para uma amiga provavelmente não irá funcionar da mesma forma comigo. Há vários tipos de acne, e logo vários tratamentos. Ela é tão especial e única como cada uma de nós. Lembro-me de por volta dos 14 anos, e a meio de um tratamento dermatológico que estava a demorar mais do que a impaciência da idade queria, decidi ouvir os conselhos de uma funcionária da minha escola e comprar um produto numa ervanária que tinha sido “milagroso” para a sua filha. Moral da história? Uma reação alérgica tão grave que me impediu de sair de casa nos próximos dias, uma consulta de urgência e mais medicamentos. Serviu de aprendizagem.

Consulta um especialista e sê honesta com ele.

Quantas vezes uma consulta de dermatologia me durou dez minutos? Chegava acanhada, não dizia metade do que estava a pensar e saia com as mesmas dúvidas e a mesma quantidade de medicamentos de todas as vezes anteriores. Os especialistas são-no por variadissimas razões - mas tu também tens uma palavra a dizer (a pele, e neste caso a acne, são tuas). Se queres experimentar outras vias, se sentes que o tratamento não está a resultar, o que quer que seja, tens todo o direito a fazer a tua opinião ser ouvida. E os bons profissionais devem preocupar-se com o que sentes (ninguém te faça acreditar no contrário).

É um processo de tentativa e erro (tem paciência).

Se acabaste de aterrar no planeta acne, há uma coisa que tens de saber: vais ter de ter paciência. Muita. Pode demorar até percebermos aquilo que resulta ou não na nossa pele e como o nosso estilo de vida a impacta (e por vezes, mesmo depois de descobrirmos, haverá alguma momento em que essa rotina já não funciona outra vez e teremos de reiniciar o processo todo outra vez).

Faças o que fizeres, não espremas.

É o que toda a gente te diz, e é porque é verdade.

Haverá alturas em que a pele estará melhor do que outras.

E parece que sempre que temos uma ocasião especial as borbulhas decidem aparecer sem serem convidada, certo? Bom, isto para dizer que só porque a pele aparenta estar melhor, não devemos descartar a rotina recomendada – e o mesmo para se piora. Há vários fatores externos que interferem com a saúde da tua pele, por isso é importante manter o foco.

As pessoas que gostam de ti não querem saber do aspecto da tua pele.

Elas querem, claro, mas só porque te preocupa a ti. A maioria das pessoas mais próximas de mim não se apercebe quando tenho um surto e, embora possa ser um pouco frustrante quando alguém desvaloriza o que estás a passar, isto acontece porque, como costumo dizer, as pessoas que gostam de mim veem-me com olhos de amor (um pouco como o emoji com olhos de coração). Acima de tudo, elas não olham para a acne como algo que deva impedir-nos de passar os melhores momentos juntos, que nos mine experiências ou que afeta quem somos. Para elas, é o que é, acne, e isso não altera em nada o que sentem por nós ou o facto de nos acharem lindas.

A acne faz parte da forma de o teu corpo comunicar contigo.

Eu sei, há formas mais simpáticas de chegar até nós do que uma explosão no nosso rosto, mas, na maioria dos casos, quando algo se revela através do nosso corpo (e há muito mais do que a acne envolvida nisto) representa um sinal de que devemos parar e refletir sobre o que se poderá estar a passar.

Não deixes que a acne domine a tua vida.

Mais fácil falar do que praticar, mas vindo de alguém que se arrepende de ter perdido alguns momentos especiais por estar demasiada focada na acne, é o maior conselho que tenho a dar. Simplesmente não podemos deixar que a nossa pele tenha o controlo da nossa vida. É difícil aceitar o mote “ama a tua acne”, mas a verdade é que não estamos sozinhas. Se as redes sociais servem para alguma coisa é para isso mesmo – experimenta seguir hashtags como #acneappreciation e lê as muitas partilhas de pessoas que também passaram ou ainda passam pelo mesmo. E, não te esqueças, faças o que fizeres não espremas essa borbulhas.

Na sua rede favorita

Siga a Miranda no Instagram. Partilhe as suas fotos de Beleza com #SomosTodosMiranda