Quem olha para o cenário idílico espelhado nas imagens dos Açores está longe de imaginar que é de lá que provêm os ingredientes que estão presentes nos produtos de cosmética de algumas das maiores figuras mediáticas mundiais. Bella Hadid, Kim Kardashian ou a reconhecida facialista Joanna Czech são apenas alguns dos nomes usam produtos da Ignae, a marca 100% portuguesa, cruelty-free, que se baseia, entre outros ingredientes, no colostro bovino.

Falámos com o fundador, Miguel Pombo, um são-miguelense de 33 anos que precisou de viver em Bruxelas para perceber que era na ilha que podia estar o seu futuro. E que este passava pela Beleza.

Como é que surgiu a ideia de criar a Ignae?

Eu trabalhava numa consultora em Bruxelas, que trabalhava para clientes da área da farmácia e cosmética. A parte que me era incumbida era a análise regulatória de cada um dos ingredientes que era usado pelos nossos clientes, para perceber a nível europeu o que é que era permitido, quais é que eram os efeitos dos ingredientes... E isso permitiu-me perceber, primeiro, o que é que está dentro de um creme de cosmética, e, segundo, como é que ele age na pele. À medida que ia vendo isso fui percebendo que nós tínhamos muitos desses activos aqui nos Açores. Foi aí que decidi voltar para S. Miguel e fazer esta linha.

Foi esse conhecimento que despoletou interesse na área da Beleza?

Quando fui para a consultora não tinha qualquer tipo de interesse. Surgiu depois pela questão profissional, quando percebi que tinhamos muitos daqueles ingredientes, e isso fez-me perceber que podia haver potencial aqui nos Açores.

Hoje já usa produtos?

Sim, diariamente. Experimento vários todos os dias desde há uns anos para cá.

O nome, Ignae, como surgiu?

Nós usamos a água termal do Parque Terra Nostra, de onde nós extraímos a água e o óleo das camélias. E um dos primeiros relatos do Vale das Furnas, que é onde existe o Terra Nostra Garden Hotel, é o termo "ignae", para dizer que o vale estava em erupção. E nós achámos que era um nome bonito, até porque a água termal vem de um aquífero que está em cima de uma rocha ígnea. Achámos muito giro ter esta referência e que fazia sentido com o espírito da marca.

Furnas
As furnas nos Açores, de onde provêm alguns dos ingredientes presentes nos produtos da marca de cosmética de luxo.

Falava da água termal. Que outros igredientes da ilha é que são utilizados?

Além da água termal do Terra Nostra, que é rica em sílica, magnésio, cálcio e ferro, usamos também o mel de abelhas. Os Açores, S. Miguel especificamente, é um dos únicos sítios do mundo em que as abelhas não tomam antibióticos. Há outros, como a ilha Ouessant, em França, de onde a Guerlain extrai o seu mel, mas existem muito poucos sítios assim. Usamos também o óleo das camélias também do Terra Nostra. E o principal ingrediente que é o colostro bovino, que é o primeiro leite após o parto.

Este último é talvez o ingrediente-estrela da marca. Porque é que ganhou esta popularidade?

Primeiro pelo inesperado, pelo menos em Portugal, as pessoas não estavam habituadas a pensar nesta substância como um activo bom para a pele. Mas há uma série de marcas, sobretudo de tratamento, que usam colostro nas suas formulações. Porque o colostro é de facto uma substância feita para a cria crescer em poucas semanas, está carregada de factores de crescimento. É uma das substâncias naturais mais ricas que se conhece.

Onde encontrar a marca

Os produtos estão disponíveis naquela que Miguel apelida como a sede da marca, em São Miguel, no Terra Nostra Garden Hotel, mas também nas perfumarias Douglas, em algumas farmácias, como a farmácia do Aeroporto de Lisboa e a farmácia do Colombo, e algumas clínicas médicas. Em Outubro, a Ignae chegou também ao Ritz Spa.

E há diferenças entre colostros?

Sim. Nós estudámos os constituintes do colostro, e já havia trabalho de base de vários investigadores aqui nos Açores sobre o colostro, com comparações sobre o colostro aqui dos Açores. Como as vacas estão ao ar livre o ano todo, e se trata de uma ilha, elas nunca estão longe do mar, e o facto de serem agredidas o ano inteiro pelos ventos do Atlântico Norte faz com que o sistema imuntário delas seja mais forte. Como consequência disso, quando comparado com o colostro de outras partes do mundo, comprovamos que o dos Açores tem maiores percentagens de alguns destes constituintes que o tornam especialmente indicado para tratamentos de pele.

Todos os produtos têm o ingrediente?

Cada creme tem colostro, mas depois nos tratamentos de gabinete utilizamos apenas este colostro liofilizado em bruto.

A produção é toda feita em Portugal?

O desenvolvimento e recolha dos ingredientes é feito cá [S. Miguel], bem como uma parte do processamento, e a produção e o fabrico são feitos em Sintra. É tudo em Portugal.

A marca está agora no gabinete de Joanna Czech. Como que isso aconteceu?

Tivemos a sorte de conseguir entrar no leque restrito da sua prática diária e [Joanna] ter utilizado em muitas caras conhecidas foi certamente um marco para a Ignae. Os ingredientes eram os mesmos antes (risos), mas a verdade é que as pessoas começaram a prestar mais atenção depois de isto ter acontecido. E depois da Met Gala em Nova Iorque, que foi quando se soube que muitas daquelas pessoas tinham usado os produtos. Isso ajudou muito a impulsionar a marca. Mas sim, foi completamente inesperado, nós não temos sequer orçamento de marketing que se compare a outras marcas, é quase inexistente.

Entretanto já se conheceram?

Sim, ela já esteve aqui nos Açores connosco, a ver como processávamos o colostro... Também esteve a ver o nosso Spa no Terra Nostra Garden Hotel, que também é de onde retiramos os ingredientes.

"Devemos ter poucos produtos, mas que resolvam efectivamente."

Para já existem apenas cinco produtos, contando com a máscara. É uma estratégia manter um número reduzido de produtos?

Nós nunca vamos ter muitas referências, porque a linha é feita para cobrir todas as necessidades e para atacar as três principais causas de envelhecimento da pele. Portanto nunca vamos criar muitos produtos, achamos que o foco deve ser um cuidado global da pele e que com esta linha conseguimos oferecer isso.

Mas há alguma novidade em que andem a trabalhar?

Acabámos agora de finalizar duas novas substâncias, uma delas até vai ser patenteada, porque é um péptido estraído das fumarolas vulcânicas das furnas, que faz a pele produzir mais colagénio quase imediatamente e vamos criar dois séruns que vão incluir esses novos péptidos. Mas é um complemento bem específico, é mais um coadjuvante. Também não queremos alargar muito o âmbito de produtos. Queremos focar aquilo que sabemos fazer bem. Não sou fã de linhas muito alargadas. Devemos ter poucos produtos, mas que resolvam efectivamente.

A marca chegou agora ao Spa do Ritz. Como é que aconteceu esta entrada dos tratamentos em Lisboa?

Os tratamentos no Ritz Spa

Há três tratamentos Ignae no Spa do Ritz Four Seasons Hotel Lisboa: o Facial Anti-Aging, um tratamento de rosto com uma máscara hidratante e estimulante de colostro e colagénio (80 min/ €235); o Facial Hidratação e Rejuvenescimento, que consiste num tratamento de rosto adaptado às necessidades de cada cliente, no qual se aplica ora uma máscara de assinatura da Ignae com veneno de abelha e argila ora uma máscara de leite de burra (50 min/ €180); e o Tratamento Corporal em Casulo, um ritual criado para estimular a drenagem linfática e melhorar a circulação, perfeito para reduzir inchaço e retenção de líquidos, e que termina com a envolvência num casulo de colostro açoreano (80 min/ €245).

A marca foi tendo alguma notoriedade, fomos sendo recomendados por algumas editoras de Beleza que experimentaram os nossos produtos e a conversa aconteceu informalmente. Surgiu o interesse e depois a equipa do Four Seasons, que é bastante informada sobre estes assuntos, experimentou a linha completa, demos formação à equipa para fazer os tratamentos de assinatura e agora há três tratamentos disponíveis, um de corpo e dois de rosto.

Fora Portugal, há planos de expansão para outros mercados?

Sim, neste momento Estados Unidos, estamos também na Suíça, vamos estar muito brevemente no Reino Unido, Arábia Saudita e vamos estar provavelmente dentro de pouco tempo na China. São muito boas notícias a nível de projecção da marca.

Na sua rede favorita

Siga-nos no Instagram