O mundo já não é como era. A desinfeção é obrigatória. O uso das máscaras nem se questiona. E o toque está no topo da nossa #wishlist. Este é um quadro social que se aplica quando colocamos o pé fora de casa: nas pastelarias, nos bancos, nas farmácias, mas também nas perfumarias e nas lojas de Beleza e cosmética. É aqui que se levanta a questão dos testers. De mão em mão, os produtos eram testados e avaliados com um “sim” ou um “não”. Com a pandemia global ainda a pairar no ar, alguns dos testers foram retirados das prateleiras para a segurança dos clientes e trabalhadores. O objetivo? Travar a propagação do vírus. Nas lojas de Beleza SkinlifeBalvera os testers distinguem-se em três categorias: cosmética, perfumes e maquilhagem. No universo da perfumaria, os clientes têm contacto com as fragrâncias, mas são os funcionários das lojas que manuseiam os frascos. Nos cosméticos, há uma maior liberdade se estes tiverem um doseador. Se não for esse o caso, a patilha descartável de madeira entra em ação. Na categoria da maquilhagem, não há plano B, C ou D. Os testers estão fora do alcance dos clientes, devido ao elevado contacto direto com os produtos. No entanto, alguns destes testers foram substituídos por amostras de uso pessoal para que possam ser avaliadas texturas, cores e pigmentações. 

Com ausência do testar de sombras, batons ou bases, é crucial que haja um sentimento de confiança entre consumidor e colaborador. Inês Queiroz é uma #beautylover que defende esta solução. “É fundamental preparar os funcionários das lojas de maneira a que possam responder a todas as dúvidas. Agora, mais do que nunca, é necessária a interação com quem está do outro lado do balcão”, revela. A Skinlife e a Balvera subscrevem. “Há uma grande confiança relativamente à forma como encaramos e gerimos as nossas lojas”, afirma Patrick Felipe, proprietário da Skinlife. Na Balvera, situada na vila de Soure, no distrito de Coimbra, o fator da proximidade com o cliente é um precioso aliado quando o quesito é a confiança. “O nosso atendimento é tradicional, o que é muito bom para haja segurança na compra dos produtos. Quem nos visita é fiel ao que vendemos”, afirma São Batalha, supervisora da loja Balvera, em Soure.

Na frente da batalha: quatro enfermeiros contam-nos como é que o coronavírus alterou as suas rotinas de Beleza
Na frente da batalha: quatro enfermeiros contam-nos como é que o coronavírus alterou as suas rotinas de Beleza
Ver artigo

Mas será que estamos a anunciar uma sentença de morte aos testers, em especial na maquilhagem? A resposta é: não. É apenas um "até já" ou um "vemo-nos em breve". “Não acredito que seja um adeus”, revela São Batalha. Também Patrick Felipe está confiante no retorno dos testers. Para que isso aconteça, o proprietário da Skinlife chama à atenção para a necessidade da implementação das regras de segurança junto dos clientes e colaboradores. “Esta pandemia teve um impacto sobre as normas de higiene, que deveriam sempre ter existido”, diz. Podemos afirmar que a ‘batata quente’ está do nosso lado. Se queremos voltar a testar novos produtos, temos que, primeiramente, saber de trás para a frente a lição mais badalada do momento: lavar, desinfetar e limpar. Agora, sim, podemos estar confiantes no tão aguardado regresso dos testers. 3, 2, 1, o countdown já começou. 

 A Miranda está no Instagram. Ainda não nos segue por lá? Se não, do que é que está à espera? A missão é simples: seguir, comentar e deixar like. 

Inclua este passo no seu ritual de Beleza!

Subscreva a newsletter da Miranda by SAPO.

Receba antes de toda a gente as melhores dicas de Beleza.

Ative as notificações da Miranda.

Enquanto o verniz das unhas seca…

Siga a Miranda by SAPO no instagram. Use a #SomosTodosMiranda nas suas publicações.