Não se sabe bem como ou quando, mas alguns ingredientes vão ganhando e perdendo especial destaque no universo da Beleza. O último a entrar no passa-a-palavra é o óleo de rícino ou castor oil. Extraído de uma planta medicinal conhecida como mamona, diz-se que este óleo se tornou popular há mais de 3000 anos pelas mulheres egípcias, que o utilizavam para hidratar os seus cabelos (Cleópatra sempre foi uma maravilhosa beauty addict, disso nunca tivemos dúvidas). Também é capaz de já ter ouvido falar do óleo de rícino como uma das muitas dicas de Beleza ou remédio caseiro para mil e uma maleitas da sua avó. Nem por isso? Ok, vamos fazer a devida apresentação.

A planta do óleo de rícino é comum em África e na Índia. Os seus feijões contêm um óleo que, através de um processo de compressão, permite a extração de um composto específico. Rico em ácidos gordos, não pode ser ingerido devido aos seus níveis elevados de ácido ricinoleico, que é indigestível, muito embora tenha chegado a ser usado como laxante, no passado. Entre os seus componentes estão, entre outros, os ácidos graxos ou gordos, sendo o principal o ácido ricinoleico, exclusivo da planta, para além dos sais minerais e da vitamina E.

Pela sua composição poderosíssima, o óleo de rícino é multitasking e um queridinho do universo da beleza, podendo ser usado dos pés à cabeça. Conheça todas as suas potencialidades:

Pele

Com algumas gotas a solo, misturado com outros óleos ou com o seu creme hidratante, o óleo de rícino pode ser usado para hidratar corpo e rosto e também cicatrizar. Especialmente eficaz em pele seca, estrias e vermelhidão (como acontece nos escaldões), o ácido ricinoleico é um ingrediente rico em ácidos gordos com propriedades que ajudam a minimizar a perda de humidade na pele. Por ser pouco comedogénico (não causa acnes ou lesões na pele) e por ter um efeito adstringente, o seu uso está também muito associado a peles acneicas, atuando como anti-inflamatório.

Cabelo

O óleo de rícino é famoso pelos seus benefícios também para o cabelo. Com ómegas 6 e 9 e à vitamina E, contribui para deixar os fios mais espessos e hidratados e, selando as cutículas, ajuda a melhorar o aspecto do cabelo. Graças às suas propriedades antifúngicas, limpa o couro cabeludo e ajuda a combater a caspa e a oleosidade excessiva. Misture-o com a sua máscara hidratante na hora do banho ou use algumas gotas nas pontas do cabelo, como faz com o seu óleo habitual.

#BemMeQuer: rendida aos óleos secos
#BemMeQuer: rendida aos óleos secos
Ver artigo

Unhas

Cutículas secas? Chamem o óleo de rícino. Basta aplicá-lo regularmente na zona das cutículas e deixar atuá-lo durante algum tempo (1 hora parece ser o ideal). E depois já sabem: cutículas hidratadas, unhas protegidas, fim das unhas partidas. Um óptimo acrescento ao seu kit de manicura de casa.

Sobrancelhas e pestanas

Há quem jure a pés juntos que o óleo de rícino lhe aumentou o volume das pestanas ou lhe deu sobrancelhas mais fartas. No entanto, é preciso algum cuidado no seu manuseamento, devido à proximidade com a zona ocular. As suas fãs utilizam uma escova limpa de máscara de pestanas para aplicá-lo nas pestanas e deixam atuá-lo nas sobrancelhas toda a noite.

Barba

Tal como acontece com o cabelo, o castor oil ajuda a hidratar os pelos faciais e faz com que cresçam mais grossos e fortes. Idealmente, deve massajar o rosto com o produto ou adicioná-lo ao seu cuidado hidratante.

Maquilhagem

Efeito glossy nos olhos? Já todas experimentámos gloss de lábios ou vaselina, mas os resultados deixam muito a desejar. Nathalie Billio, maquilhadora brasileira, é fã número 1 do castor oil para deixar as nossas pálpebras coloridas e frescas.

Na sua rede favorita

Siga a Miranda no Instagram. Partilhe as suas fotos de Beleza com #SomosTodosMiranda