Antes de contar um pouco mais sobre a novidade da linha Smart, sinto que devo relembrar um pouco da sua história: fundada em 1968, a Clinique terá sido das primeiras marcas a ter, não só o envolvimento de um dermatologista, mas também – que moderno! – o de uma editora de Beleza.

De um artigo na Vogue, para a pele

No seguimento de um artigo na Vogue americana em que a editora Carol Philips se interrogava se “seria possível criar uma pele ótima”, esta viria a unir-se a Evelyn Lauder (nora de Estée Lauder) e com o dermatologista Norman Orentreich e, juntos, criaram esta marca de cosméticos formulada com princípios da dermatologia. A segurança da pele estava acima de tudo e as formulações deveriam ser alergicamente testadas, simples e, claro, eficazes. A marca assentava sob um princípio de 3 passos: limpar, exfoliar e hidratar.

Os meus primeiros 3 simples passos

Com o exemplo de uma mãe sueca e a influência de uma tia inglesa sempre tive desde cedo em casa ou por perto, cosméticos, maquilhagens e revistas de moda internacionais e, por isso, a marca Clinique já me era familiar ainda antes desta chegar a Portugal. Eu era especialmente fascinada pelas suas páginas de publicidade, sempre fotografadas por Irving Penn, em que, já na altura (meados dos anos 80), as embalagens simples e apelativas “enchiam o olho”. Tinha pouco mais de 15 anos quando a marca veio para Portugal e poupei arduamente até conseguir comprar, na Loja das Meias, a minha primeira linha de cosméticos de sempre: justamente os famosos 3 Passos: um tónico, um hidratante (o famoso DDML) e um sabonete. Ainda hoje conheço os seus cheiros de olhos fechados e usei este regime durante vários anos.

Evolução sempre a par da inovação

Depois do seu lançamento, a Clinique tornou-se – e ainda é – uma das maiores e mais conhecidas marcas de cosméticos do mundo, com pontos de venda em todo o mundo. Ciclicamente a marca apresenta inovações que coloca ao serviço de todos que procuram cuidados de pele adaptados às suas necessidades. Quem não se lembra também do famoso Turnaround Cream, um dos primeiros a usar alfa-hidroxi-ácidos e, mais recentemente da linha SMART, com cuidados globais para combater o envelhecimento da pele. Foi a propósito desta linha que fui recentemente a Madrid, a convite da marca, conhecer a mais recente adição à gama.

Correção e nutrição para uma pele mais jovem

O novo Smart Clinical Repair™ Wrinkle Correcting Cream é um crème anti-rugas com a capacidade de fortalecer e nutrir a pele, deixando-a mais suave e de aparência mais jovem. O que torna este produto tão especial, perguntam vocês e bem? Ele foi formulado com o Complexo de Peptídeo CL1870 da CliniqueTM ao qual foram adicionados ingredientes fortificantes para a pele. Com a sua utilização e em conjunto com a restante linha SMART, dá-se o aumento de colagénio natural o que ajuda a fortalecer a estrutura de suporte natural da pele.
Além destes ingredientes, não falta também o famoso ácido hialurónico, com dois pesos moleculares e que ajuda a preencher e a manter a hidratação na pele. A curto prazo, a pele fica mais “elástica” e hidratada e as linhas finas são suavizadas. Como não podia deixar de ser, o aroma é “inexistente” e as texturas (existem duas formulações, uma para pele normal e outra para pele mais seca) são suficientemente leves mas também “ricas” para o que a pele necessita.

Experimentei um produto
Smart Clinical Repair™, Wrinkle Correcting Serum, 50 ml, € 115,99; Wrinkle Correcting Cream, 50ml, € 82,50, Clinique (disponível também na fórmula mais rica, Wrinkle Correcting Rich Cream).

Do que gostei mais

Usei toda a linha SMART quase até ao fim e, o que mais notei foi a melhoria na hidratação e conforto da pele. Estando a pele mais confortável e hidratada, as rugas e linhas ficaram também mais “aliviadas” graças, também, ao ácido hialurónico presente na fórmula. O creme usa-se duas vezes ao dia, depois da limpeza, esfoliação e do sérum da linha. Pode ser usado no pescoço mas, no contorno dos olhos deve ser usado o Eye Cream da mesma linha.