Foram cerca de dois meses em que o mundo esteve suspenso. Os planos foram adiados, os convívios com amigos e família convertidos em videochamadas e os braços e beijos ainda não são uma realidade para muitas pessoas. A nossa rotina de que tanto nos queixámos passou a ser o nosso maior sonho. Nomeio de todo este turbilhão de emoções, muitos aspectos da nossa vida foram postos em retrospectiva e a Beleza não ficou atrás. Experimentámos todas as sombras coloridas que estavam intactas, fizemos máscaras de tudo e mais alguma coisa, franjas foram cortadas e cabelos foram pintados. Mas houve também momentos em que a cara lavada foi o nosso look da semana e os cabelos brancos viram a luz do dia. A felicidade chegou no dia em que tivemos alguns vislumbres de normalidade, em especial no dia 4 de maio, com a abertura de salões de cabeleireiro e estética. E eis que surge a questão: afinal, o que mudaram as mulheres no seu cabelo depois da quarentena? Os especialistas respondem.

Helena Vaz Pereira

"Tal como no desconfinamento houve várias fases. Tivemos na primeira fase tivemos imensas clientes que precisavam urgentemente da nossa intervenção como hairstylists porque foram franjas cortadas com a tesoura da cozinha, bobs que foram feitos sobre a orientação de videos que viram no Youtube, ou seja, muito a correção de cortes. Fizemos muitas franjas curtas e longas e muitos bobs e long bobs para corrigir as desgraças feitas em casa. A segunda fase foi para as clientes mais cautelosas e que nem se atreveram a pegar na tesoura em casa, deixaram crescer imenso o cabelo, sendo cada vez mais tendência cabelos mais compridos, daí muitos escadeados para dar o ar saudável e natural, com ar de praia, perfeito para o verão.

No que diz respeito às cores, o processo foi o mesmo. Começámos por fazer muitas correções de cor, fruto de colorações feitas em casa e a segunda fase prendeu-se com a manutenção dos cabelos cujas clientes se seguraram e não pintaram em casa. A tendência deste verão é sem dúvida a naturalidade, nada muito marcado que pareça que foi feito trabalho técnico de salão. Muitos ombrés, loiros, ruivos, mas muito bem tratados, saudáveis e que se adequam à tua personalidade e tom de pele da cliente. Há também a preocupação de tratar do cabelo e fazer um corte de fácil manutenção e num período onde ainda não percebemos muito bem o que aconteceu, percebemos a importância do cabelo na imagem e vida das mulheres. Percebemos que somos importantes e isso foi muito gratificante".

Carlos Gago

"As tendências para o cabelo no pós-quarentena, tanto a nível de corte como a nível de coloração, dividem-se em três tipos diferentes de pessoas. O primeiro cliente, é o que nunca esteve tanto tempo sem cortar o seu cabelo e quer manter o comprimento, optando pelos escadeados dos anos 80 e os shaggy longos com ou sem franja. O segundo cliente, por outro lado, é um cliente que quer fazer uma transformação total, escolhendo cortes curtos e médios com o topo da cabeça mais longo, desconetados, descontraídos e incertos com movimento e textura. Estes ganharam uma grande popularidade devido aos meus vídeos e directos no Facebook e Instagram. O terceiro é o cliente que quer assumir o natural e opta por um corte curto, de forma a retirar os restos de coloração que fazia antes da quarentena.

A nível de coloração, a história repete-se. Há clientes que pretendem deixar a coloração, por norma, clientes com mais de 65 anos que faziam coloração mensalmente e que agora, devido à quarentena optaram por um look mais natural. Os segundos são os clientes que querem retocar os looks que faziam antes da quarentena. Com o crescimento do cabelo de 3 a 6 meses, a cor foi desbotando e aproveitando isso mesmo, aplica-se a tinta nesse crescimento levando a um resultado final natural. Balayage sem contraste de cor são algumas das opções mais populares com o intuito de dar um look mais natural aos seus cabelos. Por fim, a terceira categoria é transformação radical. Estes clientes optam por uma descoloração global com um Glow Inoa ou Majirel e com cortes curtos inspirados em Anime e Mangá. 

Hairtz Cabeleireiros

"No Hairtz, os cortes curtos estão a ser os mais pedidos, acreditamos que é a libertação emocional a trabalhar dentro das pessoas, querendo livrar-se do passado e do presente, já que as mudanças de visual trazem muitas vezes essas emoções associadas! Em relação à coloração, não há uma cor predominante sendo que, mais uma vez, os cobres e cores quentes estão de volta e a ganhar novos seguidores. Um dos cortes muito pedidos é o famoso shaggy que aparecu timidamente no ano passado, mas que este ano vai mesmo tornar-se uma referência".

Patrick Depaus

"Os cortes de cabelo mais pedidos são, curiosamente, os de sempre. Nada muda quando a pessoa está com alguma pressão externa e com receios. No entanto, algumas pessoas aproveitaram para mudar tudo: cor, corte, comprimento e a mudança foi muito pensada e desejada. Nova fase, nova imagem! Sempre com muita vontade e muito dispostas a gostar do resultado final. Adorei ver o entusiasmo com que muitos dos nossos visitantes entraram no salão. No que toca aos cabelos, a maioria dos clientes querem que os cortes e penteados sejam facilmente reproduzíveis em casa, com um esforço mínimo. Pedem-se cortes simples mas cheios de estilo e actuais. Cores sem grandes fantasias mas luminosas e com "ritmo". Muitas raízes por corrigir e fiquei muito admirado por constatar muito poucos acidentes de cor. Na quarentena muitas pessoas aproveitaram para só lavar e deixar secar ao natural, o que contribuiu em muito para a saúde dos cabelos, sendo um exemplo a seguir no futuro."
Na fotogaleira encontra algumas das tendências de cabelo mais pedidas aos hairstylists no desconfinamento.

Inclua este passo no seu ritual de Beleza!

Subscreva a newsletter da Miranda by SAPO.

Receba antes de toda a gente as melhores dicas de Beleza.

Ative as notificações da Miranda.

Enquanto o verniz das unhas seca…

Siga a Miranda by SAPO no instagram. Use a #SomosTodosMiranda nas suas publicações.