A ciência tem demonstrado cada vez mais a eficácia do treino de força e dos benefícios que este oferece a diferentes tipos de pessoas, sem diferença de idade, género ou mesmo condição física. Tem sido possível demonstrar que o treino de força não é só para quem quer aumentar a massa muscular, e que esta é uma das estratégias que produz mais resultados no processo de emagrecimento, quebrando o paradigma que se o objectivo é emagrecer, temos invariavelmente de realizar treino aeróbio durante um determinado período de tempo.

Antes de percebermos o porquê, é importante saber que para conseguirmos perder peso é necessário existir um défice entre o gasto energético total (GET) e a energia consumida. O GET é composto por três componentes: metabolismo basal, termogénese alimentar e exercício físico / atividade física.

Conhecendo este processo, podemos enumerar 3 benefícios do treino de força:

  • O gasto energético extra após o exercício
  • O aumento de massa muscular leva a um aumento do metabolismo basal
  • Controle dos níveis de insulina

O treino de força tem uma grande influência no GET, não só pela energia que é consumida durante o exercício, mas também pela que é necessária para que o corpo recupere após o treino, o EPOC (Excess post exercise oxygen consumption). Basicamente, este processo significa o consumo excessivo de oxigénio após o exercício e ocorre quando, após o treino, o organismo continua a consumir energia.

Vários estudos têm demonstrado que os exercícios de maior intensidade produzem um EPOC elevado durante um período de tempo mais alargado devido a um maior volume metabólico daí resultante, quando comparado com exercícios de baixa/moderada intensidade, e com o mesmo período de duração. Isto fará com que o organismo necessite de consumir energia extra para que consiga recuperar o seu equilíbrio.

De referir, também, que este tipo de treino proporciona alterações no metabolismo de repouso, levando a que este tenha um consumo maior de energia, uma vez que se assiste ao aumento de massa magra.

Destaco, ainda, uma grande vantagem na realização de treino de força para reduzir o percentual de massa gorda: o controle dos níveis de insulina (hormona anabólica).

Se o objectivo é a redução do percentual de massa gorda, então o melhor é evitar que os níveis de insulina aumentem durante o dia. Tal inibe uma enzima, a lípase, que é responsável pela utilização das gorduras, e ajuda ainda a promover a acumulação da mesma. O treino de força utiliza como fonte de energia a glicose, que é responsável pela redução de insulina.

Hoje em dia, está mais do que provado que o fator determinante para a redução de peso corporal de forma consistente, eficaz e definitiva, não é o tipo de treino, mas sim a adesão ao programa de treino e à mudança do estilo de vida. No entanto, a ciência tem demonstrado que o treino de força é um dos métodos com melhores resultados para quem ambiciona perder aqueles quilos a mais, ou mesmo aquela gordura localizada. Por isso, força!

Ricardo Gomes, 31 anos, é Personal Trainer, Formador na Área de Exercício e Saúde e CEO da CHASE Training Academy.

Inclua este passo no seu ritual de Beleza!

Subscreva a newsletter da Miranda by SAPO.

Seja a primeira a receber as melhores dicas de Beleza

Ative as notificações da Miranda.

Enquanto o verniz das unhas seca…

Siga a Miranda by SAPO no instagram. Use a #SomosTodosMiranda nas suas publicações.