Quantas vezes ouviu a expressão "barreira cutânea" na promoção de um cosmético? Um chavão usado vezes sem conta na indústria da Beleza, mas que, na verdade, pouco se sabe sobre o tema. A Miranda colocou todas as questões à dermatologista Dra. Manuela Cochito, que nos diz como manter a pele saudável e quais os sinais a que devemos estar atentos.

10 máscaras de rosto calmantes para apaziguar a pele sensível ou reativa
10 máscaras de rosto calmantes para apaziguar a pele sensível ou reativa
Ver artigo

"A barreira cutânea é um dos assuntos mais complexos e em investigação mais activa", começa por explicar a Dra. Manuela Cochito. "Na última década houve grandes avanços científicos para compreender a interligação das células e dos lípidos, com a sua função antimicrobiana e imunológica. Estes progressos permitiram-nos chegar a produtos cosméticos com nanopartículas, microcápsulas e polímeros,  que vão melhorar as propriedades da barreira cutânea."

Factores que podem influenciar a saúde da barreira cutânea:

Para uma pele saudável, a barreira cutânea tem que estar ela também saudável. A saúde desta pode ser influenciada, quer por factores genéticos, como o eczema atópico, quer por factores externos como o frio, vento, secura do ar ou poluição.

Sinais de que a sua barreira cutânea está fragilizada:

  • Pele seca com tendência a descamar
  • Vermelhidão
  • Prurido e ardor
  • Feridas, em casos extremos

Como manter a barreira cutânea saudável?

Logo aos primeiros sinais de secura ou irritação, devemos hidratar a pele o quanto antes e evitar agentes agressivos. No caso de a sensibilidade se manter, o melhor é consultar o seu dermatologista para reequilibrar a pele, caso contrário a tendência pode ser piorar.

Inclua este passo no seu ritual de Beleza!

Subscreva a newsletter da Miranda by SAPO.

Seja a primeira a receber as melhores dicas de Beleza

Ative as notificações da Miranda.

Enquanto o verniz das unhas seca…

Siga a Miranda by SAPO no instagram. Use a #SomosTodosMiranda nas suas publicações.