Muito provavelmente já ouviu falar sobre esta patologia e não sabe ao certo do que se trata. A psoríase é uma doença crónica, inflamatória, autoimune e sistémica que se manifesta na pele, podendo surgir em qualquer altura da nossa vida.

Kim Kardashian partilhou novas fotos da sua batalha contra a psoríase (e prova que ninguém é imune a doenças da pele)
Kim Kardashian partilhou novas fotos da sua batalha contra a psoríase (e prova que ninguém é imune a doenças da pele)
Ver artigo

O principal alerta para esta condição dermatológica é o aparecimento de lesões vermelhas, espessas e descamativas, que afetam sobretudo os cotovelos, joelhos, região lombar, couro cabeludo e unhas. Em casos mais graves -  cerca de 1/3 dos doentes - a psoríase atinge as articulações, dando origem à artrite psoriática. Os surtos podem desencadearem-se devido a stress, depressão, em consequência de infeções ou, até, da toma de alguns medicamentos. Embora seja uma doença genética, não implica que ocorra uma hereditariedade de pais para filhos, apesar de se verificar uma maior probabilidade do aparecimento da mesma.

O acompanhamento médico é fundamental para quem sofre de psoríase. Mesmo não existindo cura, existe já um conjunto de tratamentos que podem controlar os sinais e sintomas da doença, diminuindo e limpando quase totalmente as lesões e proporcionando uma grande melhoria na qualidade de vida do paciente. Estes atuam na inflamação, reduzindo-a e diminuindo a proliferação de células na camada superficial da pele. Os tratamentos mais comuns para a psoríase são corticoides, análogos da vitamina D, ácido salicílico, radiações ultravioletas (fototerapia), medicamentos orais sistémicos e agentes biológicos.

Hoje, data em que é assinalada a doença, a Associação Portuguesa Psoríase (PSOPortugal) deixa algumas dicas para melhorar o dia a dia de quem sofre com esta doença dermatológica:

  • Praticar exercício físico regular, manter uma alimentação saudável e evitar o consumo de tabaco e de álcool;
  • Aplicar cremes hidratantes e agentes queratolíticos (substâncias que dissolvem ou destroem a camada córnea da pele), favorecendo uma hidratação profunda da pele por evitar a perda de água por evaporação na camada mais externa da pele;
  • A exposição solar (helioterapia) deve ser moderada, uma vez que os raios solares ajudam no processo de regeneração da pele a ajudam a controlar a psoríase;
  • Utilizar roupas confortáveis, para minimizar a irritação e maximizar o conforto;
  • Participar em grupos de apoio com o objetivo de partilhar experiências;
  • Procurar aconselhamento médico e seguir o tratamento prescrito.
Neste Dia Mundial da Psoríase, conheça as celebridades que contam como é viver com a doença:

Inclua este passo no seu ritual de Beleza!

Subscreva a newsletter da Miranda by SAPO.

Seja a primeira a receber as melhores dicas de Beleza

Ative as notificações da Miranda.

Enquanto o verniz das unhas seca…

Siga a Miranda by SAPO no instagram. Use a #SomosTodosMiranda nas suas publicações.