“Da mesma forma que lavamos a nossa roupa ou trocamos a escova de dentes com a devida frequência, também as escovas de cabelo devem ser lavadas, para não acumularem resíduos de produtos, cabelos e bactérias”, começa por dizer a diretora técnica da Jean Louis David, Rute Ricardo, não deixando grande espaço para dúvidas quanto à necessidade deste gesto.

Com que frequência se deve, afinal, lavar o cabelo?
Com que frequência se deve, afinal, lavar o cabelo?
Ver artigo

Tirar os cabelos que ficaram presos à escova é uma rotina que deve ser diária. No entanto, lavagens mais profundas já não se pede que sejam feitas todos os dias. Em alguns sites de Beleza ou de cabeleireiros aponta-se para que esta higienização ocorra de 15 em 15 dias. Contudo, a quantidade de vezes que se deve lavar as escovas não é linear, e esta periodicidade está dependente de vários fatores, nomeadamente a existência de problemas de couro cabeludo, como a caspa, a utilização ou não de vários produtos diferentes, a quantidade de queda de cabelo e a qualidade da própria escova. Não é sugestivo lavar o cabelo e de seguida penteá-lo com uma escova que tenha acumulado células mortas.

Com que frequência deve lavar a escova de cabelo?

O melhor? Não precisa de comprar nada para a limpar, apenas usar o que já tem em casa: “A lavagem varia consoante o material. Se for de plástico, pode facilmente lavar com o próprio gel de banho durante o duche [ou com água e sabão]. Caso se trate de uma escova de madeira, com cerda natural [ou aquelas ‘almofadadas’], deve lavar com shampoo suave e deixar secar muito bem, para não criar humidade e, consequentemente, mau cheiro ou até bolor”, esclarece Rute Ricardo.

10 gestos que vão mudar o seu cabelo (e não podiam ser mais simples)
10 gestos que vão mudar o seu cabelo (e não podiam ser mais simples)
Ver artigo

Se já não é aconselhável a partilha de escovas de cabelo em casa, nos salões esta lavagem apresenta-se como um imperativo categórico e apela-se a deixar na porta dos cabeleireiros a vergonha e o medo de pedir higiene e qualidade. “Em casa, o principal problema de partilha corresponde à infestação de piolhos. Já num cabeleireiro, deveria existir sempre higienização entre clientes, obrigando à lavagem e, se possível, fervura”, diz o dermatologista especializado em tricologia, Rui Oliveira Soares. Já a diretora técnica da Jean Louis David advoga ainda a utilização de um spray desinfetante antes de guardar a escova ou de partilhar a sua utilização no salão.

Com que frequência deve lavar a escova de cabelo?

Rui Oliveira Soares assegura, no entanto, que doenças habituais do couro cabeludo, como a caspa, dermatite seborreica, psoríase e outras doenças inflamatórias, não se transmitem pela partilha. Mas “ter uma escova limpa de cabelos e bem higienizada é sempre o melhor ponto de partida para uma boa escovagem”, remata Rute Ricardo.

Inclua este passo no seu ritual de Beleza!

Subscreva a newsletter da Miranda by SAPO.

Seja a primeira a receber as melhores dicas de Beleza

Ative as notificações da Miranda.

Enquanto o verniz das unhas seca…

Siga a Miranda by SAPO no instagram. Use a #SomosTodosMiranda nas suas publicações.