Quantas de nós não fizemos já algumas loucuras em termos de emagrecimento rápido? Por causa de umas férias, do verão, ou daquele casamento em que queríamos impressionar e estar super-elegantes, quem não o fez que levante a mão! A verdade é que, aos primeiros sinais de primavera, começamos a ser bombardeadas com informação de como estar na nossa melhor forma e preparadas para os meses mais importantes do ano, como se a nossa vida fosse mais feliz de junho a setembro. Até pode ser, mas a pressão a que somos sujeitas também é enorme e, com ela, vem também muita insegurança, assim como a adoção desesperada de muitas medidas que nem sempre são as mais saudáveis, na procura dos tão desejados resultados rápidos.

#ÀFlorDaPele: a guerrilha de marketing da juventude
#ÀFlorDaPele: a guerrilha de marketing da juventude
Ver artigo

A par da insegurança vem também, muitas vezes, a ansiedade de querer atingir rapidamente o objetivo pretendido – seja de que forma for – ou a depressão por não o conseguir ou falhar a meio do processo. É natural e humano que tenhamos a nossa vaidade e que queiramos estar e nos sentir bonitas, atraentes e bem na nossa própria pele; o que não é natural é que tenhamos de pôr em risco a nossa saúde e corpo para o fazer.

E esta pressão de estarmos magras, lindas e maravilhosas para exibir o nosso "corpo de verão" está de tal forma generalizada, que nem nos damos conta de como a mesma pode ser extremamente agressiva e transmitir-nos sentimentos de inferioridade e de rejeição com o nosso ‘ser’, a nossa verdadeira essência.

Por isso, este verão, faça um favor a si própria e tenha como prioridade trabalhar no seu amor-próprio. Não lhe garanto que o processo seja rápido nem fácil, é natural que tenha avanços e retrocessos, mas estará no caminho certo para se aceitar como é, melhorando aquilo que realmente necessita de ser melhorado: a sua aceitação sobre si mesma.

Deixo-lhe sete ensinamentos para melhorar o seu amor-próprio: simples, fáceis de implementar e, como verá, irão trazer-lhe inúmeros benefícios.

  1. Páre de se comparar com os outros

A tendência de nos compararmos com os outros existe e é real. Nas mulheres é muito comum. Seja porque a amiga é mais magra, veste um 34 de calça, ou porque não tem um pingo de celulite no rabo. Os motivos podem ser tantos quanto variados. Páre de se comparar com os outros, porque na realidade você é única e ninguém pode ser aquilo que você é. Concentre-se em si e na sua jornada, verá como a mudança de energia e de foco a ajudará a libertar-se das comparações e a aumentar a sua nutrição interior.

  1. Não se preocupe com a opinião dos outros

Vai ser sempre impossível agradar a toda a gente. Por isso, páre de se preocupar com o  que os outros pensam de si ou com o que a sociedade espera que seja. É uma perda de tempo e de energia que apenas irá atrasá-la na sua jornada interior.

  1. Permita-se cometer erros

Errar é humano e ninguém é perfeito. Por isso, perdoe-se quando falhar, aceite que todo o caminho é feito de avanços e retrocessos, de luz e de sombra. Aprenda com os erros, aceite as suas falhas e abrace a sua história. Faça as pazes consigo própria e lembre-se: aquilo que foi um dia, não tem de ser igual àquilo que é hoje, além de que está sempre a tempo de melhorar.

  1. Lembre-se que o seu valor não está na aparência do seu corpo

Mesmo que ache que se tivesse menos 10 quilos as pessoas iam gostar mais de si, ou ser mais feliz. Estamos tão habituados a normalizar esta premissa de que ser magra é sinónimo de felicidade, que nos esquecemos do essencial: o nosso valor. E o nosso valor existe por aquilo que somos e não pelo corpo que temos. Por isso, use aquilo que a faz e deixa feliz.

#ÀFlorDaPele: tenho mais de 40 e gosto!
#ÀFlorDaPele: tenho mais de 40 e gosto!
Ver artigo
  1. Não tenha receio de se afastar de pessoas tóxicas

Mesmo quando acha que essas pessoas são suas amigas. Atenção, não são suas amigas se lhe dizem coisas como: “Tens a certeza de que vais comer isso depois do que já comeste?” ou “Se fosses mais magra serias muito mais bonita”, etc., etc.. O processo de nos afastarmos deste tipo de pessoas na nossa vida, pessoas por quem temos sentimentos e que fazem parte do nosso núcleo familiar ou de amigos, nem sempre é fácil, mas é importante que o faça, ou que estabeleça limites. Verá o quão libertador e empoderador pode ser.

  1. Processe os seus medos

Assim como errar, sentir medo também é humano e natural. Não rejeite os seus medos – entenda-os. Questionar e avaliar os seus medos ajuda-a a obter clareza e a desmascarar os problemas na sua vida que lhe provocam ansiedade.

  1. Seja gentil consigo

Seja meiga e gentil consigo, porque de palavras duras e críticas já está o mundo cheio. Quando os seus pensamentos começarem a “falar consigo” e a criticarem por aquilo que é, tem ou faz, não os ‘escute’. Celebre todo o seu percurso, história, e encha-se de amor-próprio. Lembre-se do trabalho que já fez e até onde chegou. Comemore as suas vitórias diárias, faça afirmações positivas e lembre-se de que o poder de criar a sua própria realidade, e escrever a sua própria história, está nas suas mãos.

Mafalda Santos  fez das palavras profissão, tendo passado pelo jornalismo, assessoria de imprensa, marketing e media relations. Acredita em quebrar tabus e na educação para a diferença, temas que aborda duas vezes por mês, na Miranda, em #ÀFlorDaPele.

Inclua este passo no seu ritual de Beleza!

Subscreva a newsletter da Miranda by SAPO.

Seja a primeira a receber as melhores dicas de Beleza

Ative as notificações da Miranda.

Enquanto o verniz das unhas seca…

Siga a Miranda by SAPO no instagram. Use a #SomosTodosMiranda nas suas publicações.