Tendo nascido no seio de uma família humilde, a solução rápida e eficaz de se resolver um problema com dinheiro nunca fez parte do meu universo. Essa ausência de recursos sempre me fez pensar em maneiras criativas de conseguir o mesmo resultado a baixo custo ou mesmo sem custo algum. Guardei para mim uma frase que dizia que as melhores coisas da vida são gratuitas e as segundas melhores são muito caras. Fiz então por ter acesso às gratuitas, em primeiro lugar, e quanto às outras, logo se veria.
Optei muitas vezes por fazer férias em regime low-cost ou por ficar dentro do próprio país, e mesmo assim ter uma verdadeira experiência espiritual na companhia de boas amizades ou no contacto puro com a natureza e a paisagem.

Escolhi praticar yoga, praticar outros desportos, escolhi dormir bem, mas também escolhi o vegetarianismo e na consequência deste também optei por alguns hábitos alimentares com bons resultados na aparência da pele, que estimulam a regeneração da mesma. Não consumo açúcares nem alimentos processados, e foco-me em alimentos mais ricos em nutrientes, que me deixam saciado, muitos crus, ricos em antioxidantes e com grande carga alcalina.
Já de seguida, algumas das refeições que faço diariamente.

O abacate tem sido responsável por devolver à minha pele a elasticidade e hidratação que perdeu aos 35 anos. Daí o meu lema, "um abacate por dia não sabes o bem que te fazia”, e vou fazendo receitas rápidas e muito saborosas.

#ÁguaPelaBarba: quando a (pele) seca chega aos pés
#ÁguaPelaBarba: quando a (pele) seca chega aos pés
Ver artigo

Para acompanhar qualquer prato, tenho feito uma salada. Como? Corto o abacate em rectângulos (não muito pequenos, para não se desfazerem), junto-lhes sumo de limão ou lima para não oxidarem e só depois o tomate cortado em pedaços (sem o sumo e as graínhas, para que a humidade da salada seja proveniente só do abacate). Misturo o agrião cortado grosseiramente, as amêndoas laminadas e tempero ao meu gosto com sal e azeite. Obs.: Tenho sempre cuidado ao mexer a salada para não desfazer os pedaços de abacate.
Em vez do agrião, às vezes uso espinafres e outras faço desta salada um prato principal reforçando com os hidratos de carbono da batata doce cortada em cubos e assada na frigideira (fiquei espantado quando descobri a rapidez com que se cozinha este tubérculo, sobretudo quando se põe tampa). Outra alternativa à batata doce é a quinoa cozida simples ou outro hidrato que tenha à mão no momento.
Depois, vem a proteína. Dois ovos cozidos cortados em pedaços e, havendo grão em casa, faço um hummus e adiciono duas colheres (de sopa) deste preparado sobre a salada.
O hummus é muito fácil de fazer. Como? Uma lata de grão cozido, uma colher de manteiga de amendoim (nunca tenho tahine), azeite, limão, sal e um pouco de água. A varinha mágica trata do resto!
A apresentação da salada será por camadas: primeiro a batata-doce, depois a salada básica, depois os ovos e no final o hummus na borda do prato.

As minhas receitas

Salada de abacate
Tomate
Abacate
Agrião
Amêndoas laminadas
Limão ou Lima
Sal e azeite
Batata-doce ou quinoa
Ovo cozido
Hummus

Outra refeição que faço com bastante frequência é a tosta de abacate. É um contraste de sabores: a manteiga de amendoim com um sabor quente, com o ácido do limão no abacate amanteigado e depois o ovo que se desfaz em cima da tosta com pimenta. Como? Torra-se uma fatia de pão (costumo usar o pão alentejano, mas também uso pão biológico), barra-se a mesma com manteiga de amendoim (ou de amêndoa ou tahine ou outra), depois dispõe-se o abacate fatiado, tempera-se o mesmo com gotas de limão ou lima e no final junta-se o ovo escalfado. Costumo dar-lhe um pequeno golpe na gema para depois polvilhá-la com pimenta. Na verdade, acabo sempre por me entusiasmar e apimento a tosta toda. Eis os ingredientes para juntarem à lista de compras:

Tosta de Abacate
Pão
Abacate
Manteiga de amendoim
Ovo escalfado
Limão
Sal e pimenta

E porque também sabe bem comer abacate numa versão doce, há outra receita que faço de vez em quando que é a mousse de chocolate. É uma sobremesa crudívora, portanto é comê-la sem culpa. Costumo usar um abacate médio, duas c. (sopa) de cacau cru, duas c. (sopa) de mel e uma pitada de canela. Depois a varinha mágica trata do resto, no modo turbo, para que a mistura fique bem consistente e cremosa. Com a prática da receita, podemos sempre ir aumentando ou reduzindo as quantidades de alguns ingredientes.

Mousse de chocolate
Abacate
Cacau cru
Mel
Canela

E beber abacate? Neste caso, só precisamos da metade de um. Como? Adicionamos meio pepino pequeno descascado e cortado aos pedaços, uma mão cheia de espinafres, um sumo natural de maçã e cenoura de 250ml, que compro sempre no supermercado (sou muito prático e também pode ser só sumo de laranja ou laranja e maçã ou só maçã), espremo também uma lima ou um limão, gengibre em pó a gosto e uma colher (de café) de spirulina. Adiciono ainda mais água para que a base líquida cubra a parte sólida por completo e mais uma vez a varinha mágica no turno completa o processo.

Obs.: O mesmo sumo pode ser feito sem o abacate, sem o gengibre e sem a spirulina.

Estou sempre a fazer experiências e, por isso, tudo é válido, desde que no final o sabor seja o melhor. Neste sumo, se não juntar o sumo do limão ou lima, apesar deste ser ácido, é como se perdesse o elemento doce frutado e por isso faz toda a diferença e ajuda a que um sumo, na sua totalidade constituído por vegetais, seja bastante mais agradável.

Sumo detox
Abacate
Pepino
Espinafres
Sumo de cenoura/maçã
Limão ou Lima
Gengibre em pó
Spirulina

Outro sumo poderá ser feito com espinafres, mas também com agrião (fica mais picante) ou alface (dizem que é relaxante).
Também pode fazer uma combinação de duas ou três destas verduras. A quantidade que uso é uma mão-cheia, mas também pode ser mais ou menos, conforme o gosto. Ao verde acrescento uma banana, o tal sumo natural do supermercado, e no final uso água para cobrir todos os ingredientes. Depois uso a varinha mágica et voilá!! Obs.: Pode usar a liquidificadora ou mesmo a Bimby.

Sumo verde
Espinafres ou agrião ou alface
Banana
Sumo de cenoura, laranja ou maçã

Existem outro tipo de verduras e frutas que exigem uma centrifugadora para extrair o sumo, mas sendo que o objectivo é ganhar anos de vida e não perdê-los (limpar uma máquina destas é um filme de aventuras digno de várias sequelas), prefiro a preguiça do mais fácil.

Ainda no plano das bebidas, tenho de referir aqui o batido de cacau e manteiga de amendoim. Depois da sessão matinal de natação ou do treino militar, o que me sabe bem é uma dose gulosa de proteína. Como? Bato uma banana com duas colheres (de sopa) de manteiga de amendoim e duas colheres (de sopa) de cacau cru em leite de arroz (também pode ser leite de amêndoa ou outro). Os músculos agradecem.
Este batido é tão bom que sou capaz de bebê-lo todos os dias, mesmo sem ter feito exercício físico. Já aconteceu tomá-lo ao pequeno-almoço, quando se acabam os flocos de aveia, que como religiosamente todos os dias.

Batido de cacau e manteiga de amendoim
Manteiga de amendoim
Cacau
Banana
Leite de arroz

Só flocos de aveia cozidos em água com açúcar e canela tipo Porridge é para esquecer. Umas boas papas de aveia são muito rápidas de fazer. Como? Cubro com água fervida na chaleira uma pequena porção e, em menos de 1 minuto, já os flocos absorveram a água. Depois junto o mel e o iogurte grego (ou skyr que é mais proteico) e está feita a base. O resto é adicional e varia conforme o que há. Eu junto cacau cru (quase todos os dias), bem como a banana cortada em rodelas. Mas também junto morangos ou framboesas e acrescento nozes ou amêndoas laminadas.
Já aconteceu não ter nada disto e tropeçar num pacote de bolachas Oreo. Foi a melhor mistura de saudável e não-saudável da minha vida!

Papas de Aveia
Aveia
Água fervida
Iogurte grego / Skyr
Cacau cru
Banana / morangos
Nozes/amêndoas/ frutos secos
Mel

Outro pequeno-almoço de que gosto, para me distrair das papas de aveia, são as panquecas. Às vezes são a minha alternativa ao lanche. Como? Para um ovo, costumo usar mais ou menos 5 colheres (de sopa) de flocos de aveia e duas colheres (de sopa) de mel. Trituro tudo com a varinha mágica até ficar bem líquido. Na frigideira quente, anti-aderente, vou vertendo o preparado e estando cozida de um lado, vira-se e coze-se do outro.
Costumo barrar as panquecas com manteiga de amendoim e mel, mas um dia experimentei pôr esta manteiga no preparado ainda cru, antes de ir à frigideira, e adorei! Também adicionei um pouco de cacau cru e já não precisei de barrá-las com coisa alguma.
Obs.: Em vez dos flocos de aveia, já experimentei fazê-las com farinha de amêndoa e resultou muito bem. Como fica mais proteico, basta-me praticamente comer uma para ficar saciado.

Panquecas
Ovo
Aveia ou amêndoa ralada
Mel
Manteiga de amendoim
Cacau cru

É impagável esta satisfação de comer, sem culpa, comida que também é um remédio.

Agora só falta saber se estou preparado para pagar pelas segundas melhores coisas da vida. É que por mais que a prolongue, a juventude tem um prazo de validade e vai ficar cada vez mais cara...

Bruno Reis, colaborador da Miranda, é o fundador e director criativo da Teeorema, marca de luxo de t-shirts.

Na sua rede favorita

Siga-nos no Instagram