"Dra! Por que não consigo perder peso? Por que estou tão cansada? Por que me sinto quase com vontade de estrangular alguém nos dias anteriores ao meu período menstrual?” Wow! Não é de admirar que muitas vezes não nos sintamos bem! As nossas hormonas afectam a forma como nos relacionamos com os outros e quando em desequilíbrio são as responsáveis por sintomas que limitam uma vida feliz.
Durante a minha experiência enquanto médica, lido diariamente com mulheres que sofrem com desequilíbrios hormonais e que sentem as suas hormonas 'desligadas' ou desreguladas.
Sintomas como irritabilidade pré-menstrual ou perimenopáusica, depressão, ansiedade e insónia são apenas alguns dos problemas em causa, e muitas vezes acompanhados por sintomas físicos de dor abdominal, inchaço, dores de cabeça, queda de cabelo, ganho inexplicável de peso, cansaço ou problemas digestivos.

Muitas mulheres chegam à minha consulta com a prescrição de pílulas anticoncepcionais orais (que em muitos casos pioram os sintomas) ou anti-depressivos de baixa dosagem para tratar problemas de desequilíbrio hormonal e humor. Evidentemente, estes podem fornecer alívio para alguns sintomas, mas na maioria dos casos deve ser abordada a causa, ir à raiz da questão, devendo ser avaliado o desequilíbrio hormonal e metabólico subjacente que se manifesta através de numerosos sintomas.

#DoutoraFeliz: síndrome pré-menstrual, aprende a controlar as tuas hormonas
#DoutoraFeliz: síndrome pré-menstrual, aprende a controlar as tuas hormonas
Ver artigo

Hoje em dia já é possível aconselhar essas mesmas mulheres sobre nutrição funcional, suplementação vitamínica, exercício físico, regulação do sono, redução do stress e optimização hormonal. Mas para tal, em primeiro lugar, é de vital importância descobrir de que forma podemos restaurar o equilíbrio do nosso corpo.

O que são hormonas? E porque nos afetam?

As hormonas são mensageiros químicos produzidos por várias glândulas endócrinas por todo o corpo. Esses mensageiros químicos circulam pelo nosso corpo e ligam-se a receptores das células para permitir o funcionamento normal e equilibrado do nosso corpo. Embora existam várias hormonas, com diferentes papéis, entre as principais destacam-se o cortisol, as hormonas tiroideias e o estrogénio. Quando as hormonas estão em equilíbrio dão-nos saúde, vitalidade e uma sensação de bem-estar. Contudo, quando em desequilíbrio podem causar alguns sintomas que a curto prazo alteram o nosso humor e a forma como nos sentimos.

O cortisol

O cortisol é a principal hormona do stress, libertado pelas glândulas supra-renais (que ficam sobre os rins) e que nos permite responder a gatilhos agudos, fornecendo-nos energia armazenada no corpo para agir a situações ameaçadoras.
Quando o cortisol se encontra em equilíbrio promove a queima de gordura corporal, mantém a estabilidade emocional e o humor, tem um efeito contra a inflamação, equilibra o nosso intestino e interage com as hormonas sexuais. Mas quando está desequilibrado pode ser o responsável por:

  • Fadiga
  • Depressão
  • Ganho de peso
  • Problemas digestivos
  • Desequilíbrios nas hormonas sexuais

As hormonas da tiróide

As hormonas produzidas na glândula da tiróide são as responsáveis pelo equilíbrio da sinfonia hormonal do nosso corpo, pois regulam o metabolismo e o consumo de energia. Quando em equilíbrio mantêm os níveis de energia, regulam o humor e a nossa capacidade cognitiva e memória, além de regular o ganho ou perda de peso e o funcionamento digestivo.
Embora em alguns casos seja necessário a reposição das hormonas tiróideias, é possível recuperar o seu equilíbrio através de uma abordagem funcional que promova a resolução de quadros inflamatórios crónicos instalados e a sua harmonia com o intestino e cortisol. Quando em desequilíbrio, os sintomas mais comuns são:

  • Queda de cabelo, unhas frágeis e pele seca
  • Períodos irregulares
  • Ganho de peso
  • Cansaço e falta de energia
  • Depressão
  • Alterações do intestino como prisão de ventre ou outras queixas

O estrogénio

É uma hormona sexual que ajuda a regular os ciclos menstruais e a ovulação, além de estimular o crescimento e a maturação do tecido mamário e dos órgãos reprodutivos. Tem também influência sobre muitos processos metabólicos diferentes no corpo que influenciam a saúde cardiovascular, neurológica e o sistema imunitário. Quando em desequilíbrio pode ser responsável por:

  • Aumento do risco de alterações da mama, útero, ovários
  • Predisposição para doenças auto-imunes
  • Endometriose e miomas
  • Menstruações irregulares
  • Síndrome do ovário poliquístico
  • Aumento de peso
  • Fadiga
  • Insónias e alterações do sono
  • Tensão pré-menstrual
  • Irritabilidade, ansiedade e alterações do humor
  • Infertilidade
  • Afrontamentos, ondas de calor e suores nocturnos
  • Secura vaginal e da pele

Afinal, o que causa o desequilíbrio das nossas hormonas?

Apesar de fisiologicamente ocorrerem algumas flutuações naturais na nossa função hormonal durante os diferentes momentos das nossas vidas (puberdade, gravidez, menopausa), a resposta básica a esta pergunta é o stress e com ele o processo de envelhecimento celular. Muitas são as causas responsáveis, não só o complexo stress emocional, que muitas vezes sentimos no dia a dia, mas também:

  • Uma alimentação inflamatória - para além dos alimentos processados, açucarados e de fraca qualidade, alimentos aos quais somos sensíveis ou intolerantes e que promovem uma inflamação intestinal;
  • Toxinas - a que estamos expostos todos os dias, que muitas vezes imitam ou bloqueiam a função hormonal normal;
  • Características geneticamente herdadas e características individuais que influenciam o metabolismo das hormonas;
  • Má qualidade do sono - uma má higiene do sono ou factores que perturbam os ritmos circadianos vitais para o metabolismo normal das nossas células
  • Dor física
  • Antecedentes ou traumas (de qualquer tipo, físicos, mentais e emocionais)
  • Solidão, isolamento social, relações tóxicas (que afetam a nossa saúde muito mais do que percebemos)
  • Inflamação óbvia e oculta (geralmente no nosso intestino)

Quando estamos expostos a um factor de stress, o nosso metabolismo está preparado para responder a uma ameaça (real ou percebida) e as glândulas supra-renais respondem com a libertação de hormonas, como a adrenalina e o cortisol. Os níveis de cortisol aumentam em resposta a sinais do hipotálamo e da glândula pituitária no cérebro (também conhecidos como activação do eixo hipotálamo/ hipófise/ adrenal ou eixo HPA).

#DoutoraFeliz: os segredos da Felicidade
#DoutoraFeliz: os segredos da Felicidade
Ver artigo

No entanto, na realidade da nossa vida moderna estamos expostos, de forma crónica, a uma quantidade inacreditável de stress. Essa activação e desregulação crónica do eixo HPA em resposta ao stress celular sempre presente leva ao crescente desequilíbrio da função hormonal. A longo prazo, é causador de sintomas pelo desequilíbrio do cortisol, tiróide, estrogénio e outros hormonas.

O que podes fazer? Por onde começar?

Muito está nas tuas mãos! O objectivo é recuperar o equilíbrio do teu corpo, criando condições para que o corpo relaxe e volte a respeitar os seus ritmos naturais. Para isso tens de te envolver em decisões importantes, na forma como nutres o teu corpo, nas escolhas alimentares certas e explorar o modo como podes ultrapassar as principais fontes de stress. Ao início, pode ser desafiante, mas podes começar por mudar fundamentalmente o modo como pensas e vives. As escolhas que fazes. Vamos falar de algumas:

  • Alimentação rica em alimentos integrais e orgânicos, fundamentalmente rica em vegetais e frutas, para dares ao teu corpo os principais nutrientes que ele precisa para funcionar de forma ideal
  • Reduz a exposição a toxinas (evita alimentos processados, produtos lácteos quimicamente tratados, plásticos e produtos de beleza que contenham disruptores endócrinos, (estuda sobre os “Dirty Dozen Endocrine Disruptors” do Environmental Working Group)
  • Cria hábitos de sono ideais para ti, para acordares com energia e sem aquela sensação de cansaço
  • Acalma a mente, investe numa prática diária de meditação, pratica yoga ou tai-chi
  • Desliga-te das tecnologias, redes e medias sociais e passa mais tempo cara a cara com a família e amigos
  • Procura um médico que pratique medicina funcional caso necessites de um profissional que te ajude a reequilibrar as tuas hormonas e a explorar os problemas com o metabolismo do cortisol, alterações da tiróide ou nas hormonas sexuais, problemas gastrointestinais ou alterações do humor

Aproveita o início do ano

Começa onde estás. Apesar de todos os desafios que temos de enfrentar todos os dias o importante é tomar uma atitude e não desistires. Quando reservamos um tempo para criarmos um pequeno espaço de cuidado para com nós mesmos, podes criar mudanças que te permitem optimizar o teu corpo e a saúde das tuas células para que possas viver a vida que desejas. Por onde vais começar?

Andreia de Almeida é médica especializada em anti-aging e membro da World Society of Anti-Aging Medicine (WOSAAM) e da American Academy of Anti Aging Medicine (A4M)

Inclua este passo no seu ritual de Beleza!

Subscreva a newsletter da Miranda by SAPO.

Seja a primeira a receber as melhores dicas de Beleza

Ative as notificações da Miranda.

Enquanto o verniz das unhas seca…

Siga a Miranda by SAPO no instagram. Use a #SomosTodosMiranda nas suas publicações.