Este ano o desafio não é apenas recuperar os quilos pós-Natal, fazer o mesmo plano detox do ano passado, enfim… O desafio este ano é iniciar uma nova etapa; equilibrar o peso mas sem exageros, comer mais vegan mas sem exageros, beber mais líquidos mas não dieta de líquidos. O desafio que proponho, é dar mais vida ao seu ano 2019. Alimentar-se melhor e optimizar a sua saúde com uma dieta anti-idade. Mas afinal existe esse tipo de alimentação?

Os alimentos que escolhemos, as suas combinações e os hábitos que diariamente criamos têm um elevado impacto na qualidade da saúde das nossas células e como tal na nossa longevidade. Estudos recentes evidenciam esta relação e associam diversos hábitos e alimentos a um maior risco de saúde e ao contrário de outros hábitos e reforço em certos alimentos, potenciam a nossa longevidade retardando ou minimizando riscos. Mas afinal que alimentos e que hábitos são estes?

Reduzir o sal

A Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda um máximo de 5g/dia para um adulto saudável. Mas segundo um estudo publicado em 2018 na revista Food & Nutrition Research, efectuado em mais de 1500 pessoas portuguesas, o consumo é superior em 91% dos homens e em 80% das mulheres. Procure as ervas aromáticas e especiarias nos temperos e reduza ao máximo os alimentos processados que em geral apresentam teores de sal muito superiores ao desejável.

Limitar excessos alimentares

O elevado consumo calórico, acima das nossas necessidades reais, está associado a uma menor longevidade. Pelo contrário, a redução em cerca de 15% da ingestão calórica diária parece ter efeitos promotores da longevidade por atrasar o chamado stress oxidativo que ocorre nas células. Esta foi a conclusão de um estudo publicado também em 2018 na revista Cell Metabolism. Embora sejam dados encorajadores, é fundamental referir que este ajuste deve ser sempre acompanhado por um nutricionista qualificado de forma a não comprometer carências de vitaminas, minerais e outros nutrientes fundamentais ao equilíbrio da nossa saúde, até porque a nossa saúde é o resultado de muitos factores e não apenas de um factor isolado!

Aumentar consumo de fruta e hortícolas

Diversos estudos apontam que este é realmente o segredo da longevidade. Num plano alimentar devem ser incentivados, e eu sugiro incluir os frutos vermelhos, as maçãs e tantas outras frutas mas também os brócolos, o alho, a cebola, a couve-flor, entre tantos outros. A variedade é a regra e o especial cuidado em regimes que limitem o seu consumo. Informe-se com o seu nutricionista.

Reforçar as especiarias como o gengibre e a curcuma

As suas características protectoras e desintoxicantes do organismo adicionam a necessidade de uma nota especial no que toca a estas especiarias. Inclua-as em sopas, chás ou apenas como uma simples forma de temperar. Inúmeros estudos salientam o seu papel protector oncológico.

Beber mais água

A grande maioria do nosso corpo é constituído por água. No interior e exterior das nossas células funciona como meio de equilíbrio e é fundamental à vida. Beba 1-1,5l e reforce em alturas de elevadas temperaturas e de mais exercício. Outra dica, varie as águas para que os sais presentes possam contribuir para as necessidades do seu organismo.

#PesoeMedida: 7 bons hábitos para pôr em prática no novo ano
#PesoeMedida: 7 bons hábitos para pôr em prática no novo ano
Ver artigo

Há muito mais regras e opções saudáveis mas a sugestão de ano novo será começar hoje mesmo. Não adie, e comece por pequenos passos, por pequenas mudanças. Ajustar ao seu caso a alimentação e encontrar o equilíbrio para que os hábitos se tornem duradouros. A sua saúde merece. Desejo-vos um óptimo 2019!

Pedro Queiroz é o fundador das Clínicas de Nutrição do Porto e Lisboa e consultor de Nutrição. Mais do que ajudar pessoas a emagrecer o que realmente gosta é de mudar as suas vidas.

Na sua rede favorita

Siga a Miranda no Instagram. Partilhe as suas fotos de Beleza com #SomosTodosMiranda