Está na hora de mudar o comportamento em relação a estas doenças! Parece que quanto mais se fala em nutrição saudável e um estilo de vida equilibrado mais se descobre que muitas pessoas avançam para áreas demasiado perigosas da alimentação onde o limite entre saúde e doença passa muitas vezes despercebido e é encoberto! Decidi falar deste tema para esclarecer e alertar comportamentos tantas vezes identificados à nossa volta e que atempadamente prevenidos podem ajudar a evitar a evolução destas doenças silenciosas que a curto, médio e longo prazo prejudicam a saúde.

Desengane-se quem pensa que são doenças exclusivas da adolescência, que só acontecem aos outros e estão em regressão. A informação é muita mas tudo começa de forma aparentemente inconsequente e simples: saltar algumas refeições, limitar grupos de alimentos porque fazem mal ou engordam, comer demasiado depressa, amenorreia, alimentar-se exclusivamente de alimentos que não têm aditivos, de um dia para o outro tornar-se vegan, desculpar-se a cada refeição comentando que está indisposta, restringir a alimentação a meia dúzia de alimentos saudáveis, mastigar e não engolir os alimentos só para sentir o seu paladar e não engordarem e tantos outros sintomas. Estes factores por si só não significam que tenhamos nada de mal com a nossa alimentação. Mas são parâmetros que devemos estar atentos e que se forem cumulativos ou repetitivos devemos procurar de imediato ajuda. 

Se estes comportamentos se verificarem em familiares ou amigos, a correcta abordagem parece ser fundamental para que se possa seguir para a terapêutica. Falar calmamente com a pessoa e estar disposta a ouvir é o primeiro passo. Recriminar, reprimir, extrapolar conclusões não deverá ser o caminho! Muitas vezes, diria eu na maioria, estes comportamentos alimentares têm origem em questões de resposta emocional a problemas que nos afectam e aos quais somos impelidos para responder, chamar a atenção ou servir de escape mental para estes picos de ansiedade. Cada pessoa reagirá de forma diferente mas as consequências para a saúde serão idênticas e não serão boas. 

Na grande maioria dos casos uma equipa multidisciplinar parece ser fundamental para este tipo de questões onde o grande desafio é reconhecer que se precisa de ajuda. Esta ajuda muitas vezes está numa palavra de suporte e compreensão mas não nos devemos iludir que bastará! Curioso, ou talvez não, que este tipo de situações ocorre geralmente em pessoas super espertas com um discurso, fluência de diálogo e assertividade que desarmam a maioria das investidas e questões. As razões parecem sempre válidas mas geralmente são para nos testar e validar se estamos a acompanhar o processo e as podemos “deixar em paz”. Nas nossas clínicas nestes casos procuramos envolver também a família na busca do novo equilíbrio. Demora tempo mas é super gratificante ver a evolução de rapazes e raparigas, homens e mulheres que conseguem gerir a doença e conseguem retomar o rumo de uma vida saudável e feliz. Feliz sim porque embora muitas das pessoas inicialmente pareçam as pessoas mais bem dispostas do mundo esta disposição é apenas para mascarar os sentimentos interiores. Dá trabalho, exige muita dedicação a cada pessoa mas é isto que nos faz trabalhar diariamente e dá o alento para procurarmos ser os melhores em nutrição. Seja saudável e promova hábitos saudáveis mas se identificar alguns dos sintomas atrás descritos esteja atenta porque a sua saúde merece! Saiba mais em nutricionista.com

Pedro Queiroz é o fundador das Clínicas de Nutrição do Porto e Lisboa e consultor de Nutrição. Mais do que ajudar pessoas a emagrecer o que realmente gosta é de mudar as suas vidas. 

Newsletter

O seu ritual de Beleza tem mais um passo: assine a newsletter Miranda e receba as novidades da cosmética e artigos dos nossos #RealFluencers no seu email.

Na sua rede favorita

Siga a Miranda no Instagram. Partilhe as suas fotos de Beleza com #SomosTodosMiranda