Com promessas de uma pele mais limpa e saudável e depois de ler muitos artigos sobre os benefícios desta nova rotina, decidi comprar água gaseificada no supermercado (nunca foi tão fácil encontrar e comprar um produto de beleza!) e usá-la para lavar o rosto, utilizando vários métodos diferentes, durante uma semana. Agora, partilho tudo o que descobri.

As origens

Lavar o rosto com água gaseificada ainda não é tendência em Portugal, mas faz parte das rotinas de beleza das mulheres do Japão e da Coreia há muito tempo. Num mundo cada vez mais atento aos segredos de beleza asiáticos, era inevitável que esta tendência viesse para os Estados Unidos, e chegasse eventualmente aos ouvidos atentos da Miranda.

A diferença do pH

Outra característica importante desta água é o seu pH, que geralmente ronda os 5.9 ou 6.1 - quase exactamente o mesmo pH da pele humana, sinal de que a limpeza será muito menos agressiva em comparação com a da água canalizada.

Os benefícios

Esta técnica tem vários benefícios: segundo dermatologistas, o gás que entra em contacto com a pele contribui para uma limpeza mais profunda da epiderme, resultando em poros mais pequenos e limpos, pele mais firme, e um brilho saudável. A água carbonatada dilata também os vasos sanguíneos, o que melhora a circulação e a regeneração da pele e contribui para o desaparecimento de manchas e cicatrizes.

Os métodos

Beauty clean: produtos de limpeza para um rosto realmente limpo
Beauty clean: produtos de limpeza para um rosto realmente limpo
Ver artigo

Mas afinal, como se lava o rosto com água gaseificada? Os métodos variam consoante os objetivos e preferências de cada um, mas na Coreia e no Japão a água é geralmente colocada numa taça e o rosto mergulha na água durante cerca de 15 segundos.

Durante a minha pesquisa, descobri outros dois métodos: li experiências de pessoas que preferiram misturar a água gaseificada com outros produtos de limpeza de rosto e aplicar a mistura com as mãos (ou mergulhar de novo o rosto numa taça), e quem aplicasse a água em discos de algodão e os passasse pelo rosto como passo final de uma limpeza. Durante uma semana, eu testei os três métodos.

Método 1

Encontrar uma taça grande o suficiente para que conseguisse mergulhar o rosto na sua totalidade foi o primeiro desafio. Depois de encontrar uma panela (que como deve imaginar, não é um objecto prático para arrumar na casa-de-banho), enchi-a de água com gás e mergulhei o rosto durante alguns segundos. É importante mencionar que, antes deste passo, tinha apenas removido a maquilhagem com água micelar.

Fora o frio que senti e a inconveniência deste mini mergulho, tudo correu bem - no entanto, esperava sentir o gás na pele (a água tinha sido comprada e aberta de propósito para a ocasião), algo que não aconteceu. Foi como mergulhar o rosto em água normal.

Depois, sequei o rosto com uma tolha e observei-o no espelho. A minha pele estava definitivamente mais brilhante e parecia mais saudável, mais macia. Não vi diferenças no tamanho dos meus poros e não senti que a pele tivesse sido limpa em profundidade.

Método 2

Durante a minha semana de experiências, também misturei água gaseificada com os meus produtos de limpeza. Como o cleanser que tenho usado tem uma fórmula parecida com um creme de rosto, achei as consistências dos dois produtos demasiado diferentes para as misturar numa taça. Decidi aplicar o produto no rosto como faço normalmente, e depois removê-lo com a água carbonatada.

Cleansers em óleo que literalmente derretem a maquilhagem
Cleansers em óleo que literalmente derretem a maquilhagem
Ver artigo

A maior diferença que vi entre a remoção do meu cleanser com água gaseificada e com água da torneira foi a textura final da minha pele. Enquanto a água da torneira remove o produto com uma certa agressividade e deixa a minha pele algo seca e sensível, a água com gás, certamente devido ao seu pH, fê-lo de forma mais gentil, deixando o meu rosto mais suave no final.

Método 3

Esta é a forma mais fácil de utilizar a água com gás, porque basta aplicar umas gotas em algodão e passar suavemente pelo rosto. Não tinha grandes expectativas para esta parte da experiência porque deduzi que o gás fosse desaparecer assim que a água entrasse em contacto com o algodão, e com ele grande parte das suas propriedades.

Depois de remover a maquilhagem, passei um disco de algodão com água gaseificada por todo o rosto. A primeira coisa em que reparei foi que toda a maquilhagem e sujidade que ainda estava no meu rosto passou para o disco de algodão. Fiquei impressionada com as propriedades de limpeza deste tipo de água (afinal, nunca tive essa experiência com água sem gás), e continuei a passar discos pelo rosto até deixar de ver resíduos de maquilhagem. No final, tinha a pele limpa e suave, semelhante ao resultado final dos outros métodos.

A água da torneira

Esta experiência também me alertou para a agressividade da água da torneira, com a qual é inevitável que lavemos o rosto a certa altura, mas que vou tentar evitar de forma mais consciente a partir de agora.

Conclusões

Lavar o rosto com gás não foi aquilo que eu esperava - esperava sentir "bolhinhas" no rosto mas não senti o gás na pele, e os meus poros não mudaram de aspecto ou dimensão. No entanto, fiquei rendida à gentileza com a qual a água gaseificada limpa a pele em profundidade - e por essa razão, tenciono incluí-la na minha rotina de limpeza, de preferência utilizando o método dos discos de algodão por ser o mais fácil e rápido.

Um aviso final

Esta é uma tendência fácil e divertida para experimentar em casa. Se ficar rendida aos resultados, tenha em conta que consoante o seu tipo de pele e a sensibilidade da mesma, a água gaseificada deve ser introduzida lentamente na sua rotina de beleza. Para as peles mais sensíveis, é recomendado que a água seja sempre misturada com água natural ou com produtos de beleza, de forma a que o gás não seja tão agressivo com a pele.

Na sua rede favorita

Siga-nos no Instagram