Já passou um ano desde que falei aqui do dermaroller pela primeira vez. O que mais me atraiu nesta ferramenta foi o facto de poder ser usada em casa (não tenho, portanto, de gastar fortunas em clínicas de beleza) e também a ciência por detrás do método. Ao passar este rolo de mil agulhas no rosto, estamos a libertar um dispositivo natural de defesa e de regeneração celular, capaz de produzir mais colagénio.

Não sei se no que concerne à Beleza e à Jovialidade se pode dizer que mais vale tarde do que nunca, mas só o comecei a usar há relativamente pouco tempo.

Sempre tive uma atração por métodos naturais que “enganam” inteligentemente a natureza. O Yôga, por exemplo, com as posições corporais e as respirações consegue dar-nos mais anos de vida e juventude, simplesmente porque nos permite usarmos o oxigénio e direccioná-lo no nosso corpo, mantendo também a pele oxigenada e em permanente revigoração e reconstrução celular.

O sexo tântrico também “engana” a Natureza. Fomos programados para a continuidade da espécie e fisiologicamente o orgasmo é o momento em que selamos esse dever. Ou seja,  já podemos morrer, que a Natureza já não precisa mais de nós. Se protelarmos o orgasmo, mantemo-nos com mais energia durante mais tempo e o corpo fica com os sentidos mais despertos. Basicamente andamos em estado de grande excitação o dia inteiro e só isso, per se, já equivale a um estado de regeneração dos tecidos, em constante actividade. Ok, explicarei melhor isto numa próxima crónica, sim?

A primeira vez que experimentei um dermaroller cheguei a descrever aqui a experiência. Faz parte de um dos tratamentos que tenho feito com o Ricardo Vila Nova. Vieram-me as lágrimas aos olhos, mas nada me demoveu de continuar. É uma dor superficial e que não me desmotiva. Antes pelo contrário, se não sentir a dor, como sei se está a resultar? O arranhão que o gato da minha mãe me fez na semana passada doeu muito mais. Nos dias seguintes, já depois de estar o escalpe regenerado, sinto sempre imensa comichão e quero acreditar que são folículos a renascerem, cabelo novo a crescer, magic is happening!

Quanto ao rosto, a experiência é mais recente. Decidi investir num rolo de agulhas de 1mm. O máximo aconselhado para se fazer em casa é de 1,5mm e conheço quem tenha começado por 0,5mm e que sentiu que podia ir mais além. Daquilo que li, a partir de 1mm já se tratam rugas, que é o que eu quero (nem acredito que estou aqui - e publicamente - a assumir que estou a tratar rugas). Menos que esse comprimento, é aconselhado para ajudar na assimilação das propriedades dos cremes e sérums que se usam e já pode ser usado com maior frequência. No meu caso, diz a marca que posso fazer duas vezes por semana.

#ÁguaPelaBarba: a minha experiência com a The Ordinary e por que é perfeita para homens
#ÁguaPelaBarba: a minha experiência com a The Ordinary e por que é perfeita para homens
Ver artigo

Na primeira vez, não quis exagerar na pressão. Lavei bem as mãos e a cara e levemente fui passando o rolo afiado na testa, nas têmporas, nas maçãs do rosto e à volta dos olhos, que é onde tenho o maior mal acumulado. Deve-se passar em 4 direções diferentes: na horizontal, na vertical, numa diagonal e na outra. No final, a sensação é de dormência e calor. Sente-se mesmo uma irrigação de sangue em todo o rosto. O passo seguinte foi aplicar o ácido hialurónico e aqui tento ter mesmo muito cuidado para manter as mãos sempre limpas, já que a probabilidade de infectar é maior. É normal a pele ficar avermelhada e verem-se alguns pontos de sangue, mas em 24 horas tudo desaparece. O processo de regeneração começa nesse momento, imediatamente.

Nas duas primeiras vezes, de manhã fui nadar à piscina e não tive nada a declarar. Apenas fiquei na dúvida se deveria colocar o meu protector solar com cor ou não, mas fui em frente. Como uma das recomendações é evitar o sol, preferi pôr.

Após a terceira sessão de dermaroller, na manhã seguinte, fui fazer a aula de Xtreme Fit. O nome já diz tudo, não? Suei por todos os poros da pele e ardeu tudo na minha cara. Ficou a nota para a vez seguinte: deixar passar 24 horas antes de fazer exercício físico. E assim foi. Ontem fiz a quarta sessão, onde já passei com maior pressão e experimentei uma novidade: em vez de passar só o ácido hialurónico, passei ainda um sérum antes do dermaroller. Hoje de manhã, já só passei um protector solar normal, sem cor (sempre factor 50), além dos cremes matinais. Sem dúvida que sinto a pele mais firme. Estou aqui a sentir tudo a puxar e não quero que esta sensação pare. Que puxe tudo até não dar mais!

Se a Natureza se sentir enganada que venha falar comigo e eu explico-lhe que é tudo natural, sem glúten e com o maior respeito pela vida de todos os seres vivos. Ok?

Bruno Reis, colaborador da Miranda, é o fundador e diretor criativo da Teeorema, marca de luxo de T-shirts.

Na sua rede favorita

Siga a Miranda no Instagram. Partilhe as suas fotos de Beleza com #SomosTodosMiranda