Com o stress constante do trabalho e da rotina em geral, geralmente sentimo-nos derrotados, sobrecarregados e mentalmente exaustos. Embora muitos de nós sintam que não há horas suficientes no dia para concluir as tarefas diárias, a pesquisa mostra que precisamos fazer uma "pausa no cérebro" e reservar um tempo para ficarmos mais presentes. E tudo pode começar com um gesto simples: meditar.

A meditação é um medicamento poderoso, pois vários são os estudos que demonstram os benefícios para a nossa saúde e bem-estar.

#O stress que nos faz adoecer

Todos sabemos que o stress é horrível. ABSOLUTAMENTE. HORRÍVEL.

Mas infelizmente, já faz parte das nossas vidas. Mas o que as pesquisas mais recentes têm demonstrando é que o stress e situações de trauma emocional têm sido associados ao aparecimento de doenças autoimunes. Entre algumas incluem-se artrite reumatóide, psoríase e doença de Hashimoto. Entre muitas outras.

O primeiro passo para controlar o stress é conhecer os sintomas. Mas reconhecer os sintomas do stress pode ser mais difícil do que podemos sequer imaginar. A maioria de nós está tão acostumada a ficar stressada que geralmente não sabe que está a chegar ao ponto de rutura, conhecido como “Burnout” ou esgotamento.

O stress pode afetar todos os aspetos vivenciais, incluindo emoções, comportamentos, capacidade de raciocínio e saúde física. Nenhuma parte do corpo é imune. Mas, como as pessoas lidam com o stress de maneira diferente, os sintomas do stress podem variar. Os sintomas podem ser vagos e podem até ser os mesmos que em algumas doenças ou condições médicas.

Podes sentir qualquer um dos seguintes sintomas:

#sintomas físicos

  • Cansaço e falta de energia;
  • Dores de cabeça;
  • Alterações gastrointestinais (diarreia, obstipação e/ou náuseas);
  • Insónia ou sono leve e pouco reparador;
  • Constipações e infecções frequentes;
  • Perda de desejo sexual;
  • Nervosismo e tremores;
  • Zumbidos nos ouvidos;
  • Dores e músculos tensos;
  • Dor no peito e batimentos cardíacos rápidos;
  • Boca seca e dificuldade em engolir;
  • Mandíbula cerrada e dentes a ranger (conhecido clinicamente como bruxismo).

#sintomas emocionais

  • Agitação, frustração e mau humor;
  • Sentimento de opressão, como quando se perde o controlo;
  • Dificuldade para relaxar e acalmar a mente;
  • Baixa autoestima, solidão, sem valor e depressão.

#sintomas cognitivos

  • Preocupação constante;
  • Pensamentos descontrolados;
  • Esquecimento e desorganização;
  • Incapacidade de concentração.

Agora que já sabemos como o stress tem impacto, a melhor coisa que podemos fazer é procurar as soluções. A meditação pode ser o começo.

#O que é "meditação"?

Sentados na posição vertical, olhos fechados, palmas das mãos apoiadas no colo, pés apoiados no chão. A ideia é aprender a concentrares-te no presente, prestar atenção às sensações corporais, pensamentos, emoções e principalmente à respiração.

Parece fácil, mas não é. A nossa mente divaga o tempo todo, revendo o passado ou planeando o futuro. A meditação é um lugar onde podemos descansar e acalmar as nossas mentes.

#DoutoraFeliz: Psicobióticos: a ligação entre o intestino e o humor
#DoutoraFeliz: Psicobióticos: a ligação entre o intestino e o humor
Ver artigo

Existem várias subcategorias sob o amplo guarda-chuva da "meditação", mas os dois tipos mais frequentemente estudados são a meditação transcendental e a meditação da atenção plena (conhecida como “mindfulness”). A principal diferença entre os dois é que, com a meditação transcendental (TM), a pessoa concentra-se num mantra que repete na cabeça, enquanto que na meditação mindfulness, normalmente concentra-se na respiração ou em outras sensações físicas.

Independentemente de qual a forma de meditação que escolheres o importante é que comeces e pratiques, todos os dias. O objetivo é desenvolver maior consciência dos pensamentos, sentimentos e sensações e aprender a observá-las sem reagir inconscientemente.

O pioneiro da pesquisa científica em meditação, Herbert Benson, destacou os benefícios no corpo humano – pressão sanguínea, batimentos cardíacos e atividade cerebral - desde 1975. Ele ajudou a desmistificar a meditação chamando-a de "resposta de relaxamento".

A ciência demonstra que a meditação inclui vários benefícios:

1) Meditação no cérebro: maior concentração, foco, sensação de calma e melhor desempenho mental

2) Meditação no stress e bem-estar: controla o stress, ansiedade, depressão e abuso de substâncias (açúcar, álcool, tabaco, etc).

3) Meditação no corpo: melhoria da saúde cardiovascular, diminuição da pressão arterial entre outros benefícios físicos.

4) Meditação no controlo do peso: controlo da compulsão alimentar, melhoria das digestões e ajuda na perda de peso.

#Os truques básicos para começar

Temos várias ferramentas e possibilidades à nossa disposição.

  1. Aplicativos de meditação (Uma para tentares: Headspace)
  2. Tutoriais online (vídeos, podcasts). Começa a pesquisar. A UCLA Mindfulness Awareness Research Center tem podcasts gratuitos.
  3. Participe de cursos ou aulas de meditação. Podes sempre começar por uma aula de ioga. Na fase final de cada aula há sempre um momento meditativo para ires aprendendo como começar.

#Ser mais feliz, só porque sim!

A meditação não apenas reduz o stress e os efeitos destruidores das hormonas do stress, mas também aumenta os níveis da bioquímica da felicidade - hormonas como a oxitocina, dopamina, serotonina e anandamida, que o nosso corpo produz naturalmente quando estamos relaxados, calmos e felizes.

Quando vais começar esta jornada com a meditação? Reaprende a respirar e ouve o teu corpo.

Andreia de Almeida é médica especializada em anti-aging e membro da World Society of Anti-Aging Medicine (WOSAAM) e American Academy of Anti Aging Medicine (A4M)

Na sua rede favorita

Siga a Miranda no Instagram. Partilhe as suas fotos de Beleza com #SomosTodosMiranda